Arcade Fire está gravando com James Murphy, ex-LCD Soundsystem

O quarto disco da banda, sucessor de The Suburbs, está previsto para 2013

Redação Publicado em 08/12/2012, às 14h58 - Atualizado às 22h54

Arcade Fire
AP

James Murphy até negou, mas o empresário do Arcade Fire confirmou, à MusicWeek, que a banda e o ex-líder do LCD Soundystem estão mesmo trabalhando juntos em estúdio para o próximo disco do grupo.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Em outubro deste ano, os rumores começaram a surgir de que Murphy iria produzir o quarto álbum da banda e do Yeah Yeah Yeahs, mas o próprio músico e produtor preferiu esclarecer que os boatos não eram verdadeiros. “Isso não é necessariamente verdadeiro. Nós não trabalhamos dessa forma. Porque eu trabalho com amigos, se eu tiver tempo e eles estiverem na costa leste [dos Estados Unidos], então nós possamos fazer algo. Mas eles também não precisam de produtor. Eles podem fazer isso sozinhos”, explicou Murphy ao Huffington Post.

Segundo Scott Rodger, contudo, Murphy está em estúdio com o Arcade Fire, trabalhando em “umas três músicas, além de Markus Dravs, um longo colaborador da banda”, disse o empresário. “Eles escreveram tantas músicas – esse é um bom problema de se ter. São por volta de 35 músicas do Arcade Fire, que renderiam dois discos, certamente.”

O empresário não especifica qual é a função de Murphy no estúdio com a banda, seja como produtor ou como colaborador.

O disco, segundo disse o baterista do grupo Jeremy Gara, será lançado em algum momento de 2013 e será o sucessor do bem-sucedido The Suburbs, que deu à banda o Grammy de Melhor Disco do Ano.

Ainda que rodeadas de mistério, as novas faixas da banda começam a aparecer aos poucos. Em outubro deste ano, o Arcade Fire tocou em Nova York e exibiu a inédita “Crucified Again”. Na última semana, no domingo, 1, o grupo fez um show secreto, sob o codinome de Les Identiks, no qual exibiram mais faixas que podem integrar o novo trabalho – câmeras filmadoras e celures, contudo, foram proibidos de entrar.