Arcade Fire responde à crítica de Laura Jane Grace sobre clipe de “We Exist”

O ator de Homem-Aranha no papel de transgênero passaria uma mensagem “bastante poderosa”

Rolling Stone EUA Publicado em 26/05/2014, às 16h12 - Atualizado às 16h21

Galeria - Matérias do Lollapalooza 2014 - Arcade Fire 2
Divulgação

O grupo Arcade Fire respondeu às críticas feitas por Laura Jane Grace, vocalista transgênera da banda Against Me!, sobre o clipe de “We Exist”, que conta com Andrew Garfield, protagonista de O Espetacular Homem-Aranha, vestido com roupas femininas e sendo agredido por bêbados em um bar.

Laura Jane Grace, cantora do Against Me!, fala sobre o primeiro ano como mulher.

“Querido Arcade Fire”, escreveu Laura no Twitter na semana passada. “Talvez vocês devessem colocar um ator realmente ‘trans’ ao fazer um vídeo de uma música intitulada ‘We Exist’ [Nós existimos], em vez de colocar o Homem-Aranha.”

“O vídeo foi tão pensado e feito com amor que eu, pessoalmente, não vejo como algo negativo”, disse o frontman Win Butler ao The Advocate. “Eu percebo que é uma questão sensível.”

O diretor do vídeo, David Wilson, ainda explicou que considerou usar um ator transgênero para o papel. “Mas então eu falei pelo telefone com Andrew, e o comprometimento e a paixão dele pelo projeto era tão emocionante. Para um ator deste calibre estar tão emocionalmente envolvido em um clipe é algo muito especial. Fez todo o sentido.”

Butler também disse ao The Advocate que a música foi composta na Jamaica, e é uma resposta á cultura homofóbica do país. “Nós estávamos em Kingston em um evento, conhecemos alguns jovens gays jamaicanos, conversamos com eles e percebemos que eles estão sob constante ameaça de violência”, contou ele. “Uma vez que algo está na internet, ela entra na vida das pessoas de uma maneira que eu considero poderosa. Para um jovem gay jamaicano ver o ator que interpreta o Homem-Aranha neste papel é bem poderoso, na minha opinião.”

Depois que o artigo foi publicado, Grace respondeu novamente, questionando a justificativa para o projeto. “A teoria de que um jovem jamaicano LGBT desabrigado vá se sentir poderoso ao ver um ator branco e hétero de filmes que eles não conseguem pagar para ver estrelar um clipe que eles nunca vão assistir?”, ela escreveu no Twitter.

“Se a música tivesse outro nome eu não teria nenhum problema com ela”, completou. “O nome é ‘We Exist’ [Nós existimos] e não há sinais desse existência representados. Deveria se chamar ‘They Exist’ [Eles existem].”

Assista ao clipe de “We Exist”: