Artistas que foram sampleados em “Harlem Shake” querem receber por isso

Eles afirmam que Baauer usou o material deles sem autorização no hit

Eric R. Danton Publicado em 11/03/2013, às 12h21 - Atualizado às 19h46

Baauer
Reprodução / Facebook Oficial

Dois artistas sampleados no hit número um "Harlem Shake", de Baauer, estão pedindo na justiça para que o selo responsável pelo lançamento pague o que lhes cabe no sucesso da música que deu início ao viral dançante da internet.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

De acordo com o jornal The New York Times, o músico de reggaeton Hector Delgado e o rapper Jayson Musson dizem que Baauer usaram elementos de músicas deles sem permissão em "Harlem Shake", que passou três semanas no topo da parada Billboard Hot 100.

A música começa com a voz de Delgado, que agora é um pastor evangélico em Porto Rico, dizendo "con los terroristas", que é um refrão de seu single de 2006 "Maldades" e apareceu em algumas outras músicas. A frase "do the Harlem Shake" vem de uma canção de 2001, "Miller Time", do Plastic Little, ex-grupo de rap de Musson.

Os dois artistas estão pedindo compensação para o Mad Decent, selo que lançou a música. "É quase como se eles tivessem vindo para uma terra minha e construído uma casa”, disse Delgado.

Atualmente, há milhares de vídeos imitando o "Harlem Shake" no YouTube, incluindo postagens do exército norueguês, dos times de natação e mergulho masculinos da Universidade da Georgia e do duo indie Matt and Kim. Os Simpsons e o Saturday Night Live também criaram suas versões.

Baauer ainda não comentou o caso. A Machete Music, que cuida das publicações de Delgado, e Musson estão negociando com a Mad Decent o pagamento e, segundo Musson, a "Mad Decent tem sido mais do que cooperativa no processo”.