Assassino de John Lennon tem pedido de condicional negado

Mark David Chapman solicitou a medida outras seis vezes, todas foram recusadas pelo “bem estar da comunidade”

Rolling Stone EUA Publicado em 23/08/2012, às 12h55 - Atualizado às 15h47

Mark Chapman diz que "não estava pensando direito" ao decidir assassinar John Lennon
AP

O homem que matou John Lennon teve seu pedido de condicional negado pela sétima vez, segundo informou a CNN. Mark David Chapman, de 57 anos, conversou nesta quarta, 22, com autoridades, segundo afirmou um porta-voz do departamento de correção de Nova York.

Galeria: veja imagens de diversas fases de John Lennon

Na última vez que ele pediu a condicional, em 2010 – a solicitação foi feita a cada dois anos desde 2000 – foi-lhe dito que “a soltura permanece inapropriada por enquanto e incompatível com o bem estar da comunidade”, segundo nota da Divisão de Condicionais do estado.

Chapman disparou quatro vezes nas costas de Lennon no lado de fora de seu apartamento em Manhattan no dia 8 de dezembro de 1980. Depois de ter sido julgado por assassinato em segundo grau, foi condenado a prisão perpétua com direito a pedir condicional após os 20 primeiros anos. A viúva de Lennon, Yoko Ono, pediu que a condicional não fosse dada por temer a segurança dos filhos do ex-Beatle, Julian e Sean.

O assassino permanece portanto preso sob proteção e em cela exclusiva. Tem permissão de sair três horas por dia e recentemente pediu novamente para participar de um programa chamado “reunião de família”, que permite que os presidiários fiquem mais tempo com suas famílias.