Pulse

Assessor de Bolsonaro diz que Coringa é o retrato de um mundo "esquerdista" e "sem Deus"

Filipe Martins atacou duramente o filme de Todd Phillips, mas amenizou: "muito bem feito da perspectiva artística"

Redação Publicado em 08/10/2019, às 09h08

None
Joaquin Phoenix como Coringa (Foto: Reprodução Warner)

No último domingo, 6, o assessor de Jair Bolsonaro para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, atacou o novo Coringa, dirigido por Todd Phillips.

No Twitter, o analista político revelou suas impressões sobre o filme, dizendo que ele demonstra o que a anomia social e o "ressentimento esquerdista" são capazes de fazer com uma "mente perturbada."

Martins também escreveu que Joker é "um retrato desesperador das consequências do mundo sem Deus, sem propósito, sem transcendência e sem redenção que a geração de maio de 1968 tentou criar."

Confira a publicação:


Ao ser criticado pelas pessoas que gostaram do longa-metragem, o assessor de Bolsonaro tentou contornar a situação: "O filme é muito bem feito da perspectiva artística e a atuação do Joaquin Phoenix é genial, mas o desconforto e a agonia que ele causa no telespectador lembram o incômodo e a aflição causados pelos filmes niilistas do Harmony Korine."

Coringa está em cartaz nos cinemas brasileiros. Assista ao trailer abaixo: