Assista ao último show do AC/DC com Malcolm Young

Lembre como foi a turnê de Black Ice, última que ainda contava com o guitarrista como integrante da banda australiana

Rolling Stone EUA Publicado em 23/11/2014, às 15h55

AC/DC

Ver Galeria
(7 imagens)

Em outubro de 2008, o AC/DC deu início a uma turnê mundial de quase dois anos que renderia US$ 441 milhões em 168 shows. Foi a quarta turnê mais lucrativa de todos os tempos, atrás apenas de The Wall Live, do Roger Waters, A Bigger Bang, dos Rolling Stones, e 360, do U2. Uma expressiva quantidade de 4,8 milhões de fãs assistiram aos shows em algum momento.

O AC/DC faz parte da nossa lista de roqueiros bons de marketing.

O AC/DC estava na estrada para divulgar o então novo disco, Black Ice, mas a maioria dos shows só tinha quatro faixas do álbum. O resto do setlist era dedicado a clássicos, como “Back in Black”, “Thunderstruck”, “T.N.T.” e “The Jack”. O repertório variou muito pouco durante os dois anos de duração da excursão, ajudando a tornar previsíveis os momentos de tiros de canhões, uma “Rosie” inflável e outros sinos e explosões na noite.

Ninguém sabia na época, mas seria a última turnê da clássica formação da banda de Back in Black. Antes mesmo de a turnê começar, o guitarrista base Malcolm Young estava passando por problemas cognitivos. “Ele ainda tinha a capacidade de saber o que ele queria fazer”, disse Angus Young em entrevista recente à Rolling Stone EUA.

Ouça “Rock or Bust”, faixa-título do novo álbum do AC/DC.

“Eu disse a ele: ‘Você quer continuar com o que estamos fazendo?’ E ele respondeu: ‘Quero, porra!’”, seguiu Angus. O guitarrista teve que reaprender muitos dos famosos arranjos de guitarra que ele compôs para a banda. “[Aquilo] foi muito estranho para ele”, disse Angus. “Mas ele sempre foi um cara confiante, e fizemos isso funcionar”.

Tudo isso foi completamente invisível para os fãs e a turnê foi um triunfo absoluto. Por tradição, cada um dos shows chegava ao fim com “For Those About to Rock (We Salute You)”, acrescida de tiros de canhão capazes de estourar tímpanos. A turnê chegou ao fim em 28 de junho de 2010, com uma apresentação enorme em um estádio em Bilbao, na Espanha.

Entrevista: "Malcolm Young é um cara impiedoso, que fez tudo para chegar ao sucesso", diz biógrafo do AC/DC.

Quando o AC/DC sair em turnê no ano que vem, Malcolm será substituído pelo sobrinho dele, Stevie, e ninguém sabe quem será o dono das baquetas. Talvez seja mesmo Phil Rudd, mas se as complicações dele com a justiça – que estão em andamento – se tornarem um problema, o grupo já deixou bem claro que ele também será substituído.

Assista abaixo.