Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Assistente de produção de 'Dahmer: O Canibal Americano' diz ter sido um de seus piores trabalhos

Kim Aslup afirmou que era confundida frequentemente no set de filmagens de Dahmer: O Canibal Americano

Redação Publicado em 30/09/2022, às 18h25

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Evan Peters como Jeffrey Dahmer (Foto: reprodução / Netflix)
Evan Peters como Jeffrey Dahmer (Foto: reprodução / Netflix)

A assistente de produção da série Dahmer: O Cannibal Americano, Kim Aslup, afirmou ter sido tratada "horrivelmente" no set de filmagem. Aslup conta que era uma das duas pessoas negras presente e que outros membros da equipe muitas vezes confundiam seus nomes. 

“Eles ficavam me chamando pelo nome dela. Nós duas tínhamos tranças, ela era de pele escura.", escreveu Alsup no Twitter. “Trabalhar nisso levou tudo o que eu tinha, pois fui tratada horrivelmente. Eu olho para a liderança feminina negra de forma diferente agora também.”

O desabafo em seu twitter foi postado dois dias antes da estreia de Dahmerna Netflix. E agora, em entrevista para o site Los Angeles Times, Aslup explica que ainda não assistiu a produção por medo de "gatilhos" e chamou o trabalho como "exaustivo'

+++ LEIA MAIS: Dahmer: O Canibal Americano - conheça o serial killer que inspirou a série

“Foi uma das piores séries em que já trabalhei. Eu estava sempre sendo chamada pelo nome de outra pessoa, a única outra garota negra que não se parecia em nada comigo, e aprendi os nomes de 300 figurantes de fundo.”

Alsup a produção de Dahmer não tinha coordenadores mentalmente saudáveis, razão pela qual ela estima que o programa teve um ambiente de trabalho tão desfavorável. 


Dahmer: O Canibal Americano: Evan Peters teve medo de interpretar serial killer

Evan Peters viveu Jeffrey Dahmerem Dahmer: Um canibal Americano, a série é inspirada em um caso real. Quando Peters foi chamado para o papel, teve que se aprofundar no assunto e realizar pesquisas para o personagem. 

"Encontrei no YouTube alguns áudios do que parecia ser algum psicólogo entrevistando Dahmer, ou até mesmo um detetive, e [Jeffrey] conta pelo que passou. Ele fala de uma forma muito sincera, muito normal", relata, detalhando que a tranquilidade é algo que lhe causou incômodo.

Durante os assassinatos, Jeffrey costumava dopar suas vítimas e abusava de seus corpos cometendo estupro e necrofilia. Depois que suas vítimas morriam, ele dissolvia os corpos em ácido ou cortava para comer a carne.

+++LEIA MAIS: A Órfã 2: relembre a história real que inspirou o filme

Eu estava com muito medo de tudo o que ele fez, e de mergulhar nisso e comprometer-me a fazer o meu melhor no que seria com certeza uma das coisas mais difíceis da minha vida, porque eu queria que ficasse bastante autêntico. Mas, para isso, eu precisava acessar a lugares muito obscuros e ficar lá por um grande período," disse o ator em entrevista para a Netflix (via Uol Splash).

Evan conta que precisou se policiar para não se perder com as pesquisas sobre Jeffrey Dahmer. 

"Ao me perder nisso, era um desafio tentar olhar para essa pessoa que aparentemente era tão normal, mas que por baixo escondia um mundo inteiro de segredos", contou para a Netflix. "Eu li tanta coisa, vi tanta coisa que, em um certo ponto, alguém tinha que dizer: 'Ok, isso é o suficiente'", completou em entrevista para a revista Variety (via UolSplash).