Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Notícias / Bullying

Atores de Escola de Rock sofreram bullying após lançamento do filme

‘Fui considerado um completo esquisito,’ disse Joey Gaydos Jr.

Redação Publicado em 29/09/2023, às 17h49

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Jack Black em Escola de Rock (Foto: Reprodução/Scott Rudin Productions)
Jack Black em Escola de Rock (Foto: Reprodução/Scott Rudin Productions)

Sucesso dos anos 2000, Escola do Rock (2003), estrelado por Jack Black, se destacou não só pela história irreverente, mas pelo seu elenco infanto-juvenil. Os adolescentes que interpretaram os alunos de Dewey Finn, no entanto, passaram por situações complicadas após a estreia do filme, segundo nossos parceiros da Rolling Stone EUA.

Joey Gaydos Jr., que interpretou Zack Mooneyham, conta como foi voltar para Detroit, sua cidade natal: “Fui considerado um completo esquisito e isso foi difícil”, disse. “Lembro-me de ir a um jogo de futebol no colégio, e uma garota mais velha apareceu e me deu um tapa na cara porque, 'Olha aquele cara estranho do filme'. Eu não pude acreditar.”

+++LEIA MAIS: Escola de Rock 'não parecia um grande sucesso' no começo, diz diretor

A interprete de Eleni, Veronica Afflerbach, disse que as crianças de sua escola foram “brutais” com ela e promoteu “nunca mais fazer isso”: “Meus pais queriam fazer um investimento, então compraram uma casa para mim”, disse Afflerbach. “E as crianças disseram coisas realmente horríveis. 'O que mais você fez para ganhar tanto dinheiro? Porque não se trata apenas de algumas falas de um filme. Você é um figurante. Mas eu gostaria de ter me dado a chance de ver aonde mais [atuar] poderia ter me levado.”

Rivkah Reyes, que interpretou a baixista Katie também compartilhou suas experiências após o filme: “Passei, eu diria, cerca de uma década em que estive muito, muito doente e muito, muito mal mentalmente e usando tudo o que pude para não sentir nada, basicamente”, disse. “Mas nos últimos cinco anos, estive sóbrio e navegando novamente na indústria cinematográfica, na comédia, na escrita e em tudo isso. É muito mais fácil quando não há todas aquelas coisas extras no meu caminho, no meu verdadeiro eu.”

+++LEIA MAIS: As 50 melhores músicas de artistas e bandas da ficção, segundo a Rolling Stone EUA

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!