Baby do Brasil, Sergio Mendes e Rogério Flausino participam de single otimista feito para os Jogos Olímpicos; ouça

Música “veio para dizer: ‘Estamos ótimos, é hora de abrir os braços, receber o mundo inteiro, mostrar que o brasileiro é o melhor povo’”, disse a cantora

Lucas Brêda Publicado em 09/06/2016, às 16h31 - Atualizado em 10/06/2016, às 12h00

Baby do Brasil, Rogério Flausino e Sérgio Mendes, que se uniram no single “Se Ligaê”, feito especialmente para as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016
Guto Costa/Divulgação

“Ei, se ligaê, sou brasileiro e abro os braços a você”, cantam Baby do Brasil e Rogério Flausino, junto a Sergio Mendes, no novo single “Se Ligaê”, lançado como uma espécie de hino otimista para celebrar o Brasil e a chegada dos Jogos Olímpicos ao país. A faixa, assinada por Rogê, Pretinho da Serrinha e Leandro Fab, pode ser ouvida abaixo.

Produzida de maneira independente pela Musickeria, “Se Ligaê” chega às rádios e plataformas de streaming na próxima sexta, 10, recheada de balanço, metais, coros e nacionalismo. “A música veio para transformar a atmosfera, este momento difícil”, comenta Baby do Brasil. “Ela veio para dizer: ‘Estamos ótimos, é hora de abrir os braços, receber o mundo inteiro, mostrar que o brasileiro é o melhor povo, tem a melhor música’.”

Segundo o trio, a canção ganha vida para combater o mau humor e o desencanto da população do país, que vive crises política e econômica e está prestes a receber as Olimpíadas, cuja estreia acontece em 5 de agosto no Maracanã, no Rio de Janeiro. “Se Ligaê” serve também como uma convocação à participação do público do país na recepção dos estrangeiros e na criação de um panorama favorável para a realização dos Jogos.

“Não temos como sair dessa [crise] se não mudarmos o humor”, comenta Flausino, vocalista do Jota Quest. “Precisamos acordar cedo e ir à luta. Temos problemas sérios e queremos essa mudança há muito tempo. Corrupção é um problema endêmico desse país e agora está havendo uma chacoalhada gigantesca.”

Ele acrescentou: “Nós estamos diante de um evento global, com a honra de receber o mundo inteiro e temos que fazer disso o mais legal possível. Quando o projeto nasceu [no fim de 2015], a coisa [situação política] não estava assim, mas as Olimpíadas estão chegando e eu, despretensiosamente, espero que se ela puder alegrar e trazer colorido ao nosso dia, já está muito bom.”

Para o pianista Sergio Mendes, o novo single é “um hino da esperança”, o qual ele espera que “dê alegria e una as pessoas”. “Porque os Jogos Olímpicos são exatamente isso: os países se unindo, todos juntos, tudo muito bacana”, emendou.

Na proposta e na realização, “Se Ligaê” lembra outras músicas na história do Brasil que foram motivadas por grandes eventos esportivos – e, em alguns casos, até taxadas como ufanistas. Nas Copas do Mundo de 1958 e 1970, por exemplo, os brasileiros cantaram, respectivamente, “A Taça do Mundo é Nossa” e “Pra Frente Brasil”, canções que até hoje permeiam o imaginário do cidadão médio.

“Alguns investimentos foram feitos e sabemos já de várias coisas que estão dando errado”, pondera Flausino, referindo-se às obras para os próximos Jogos Olímpicos. “Infelizmente, ainda nos falta certa competência em alguns sentidos. Na Copa do Mundo foi assim. Quantos investimentos foram feitos em transporte, aeroportos, estádios, e a maior parte do dinheiro foi para os bolsos de outros.”

Às vésperas de um evento da magnitude das Olimpíadas do Rio de Janeiro, “Se Ligaê” se apresenta com a pretensão de preencher a lacuna de registro sonoro definitivo do momento, ocupar a posição de “hino” não oficial dos Jogos Olímpicos de 2016. “[O single veio para] Para mudar a mentalidade – como a música fez na época da ditadura, ao lado do futebol”, disse ainda Baby.

Abaixo, ouça “Se Ligaê”.

Assista também ao making of de “Se Ligaê”.