Pulse

Baco Exu do Blues revela nova música Paris e a luta contra os fantasmas da solidão; assista

Músico fala abertamente da sua depressão na música lançada nesta sexta-feira, 29, com clipe dirigido pelo rapper

Pedro Antunes Publicado em 28/03/2019, às 18h39 - Atualizado em 29/03/2019, às 12h00

None
Baco Exu do Blues (Foto: Alex Takaki)

(O texto atualizado às 12h de 29/3) 

Sob a base do duo DKVPZ, o rapper Baco Exu do Blues rima como se encarasse fantasmas passados. Aqueles que poderiam ter ido embora - talvez ele até acreditasse que, de fato, tinham desaparecido -, mas seguem ali, prontos para agarrá-lo nos momentos mais frágeis e solitários. 

Assim como fez em Esú, seu primeiro disco, lançado em 2017, Exu do Blues é corajoso ao escancarar um momento tão particular e sombrio em "Paris", nova música do rapper lançada nesta sexta-feira, 29.

Trata-se da primeira música de Exu do Blues lançada após o sucesso de Bluesman, seu segundo álbum, de 2018. O vídeo de "Paris", também lançado nesta sexta, que pode ser assistido ao final do texto, tem a direção do próprio rapper, e fotografia e imagens assinadas por Filé com Fritas e Roncca.  

"Eu estava engasgado", conta o Baco Exu do Blues, que estreou o clipe nos Stories, recurso de vídeos curtos do Instagram, na sua página. "Sentia mais do que se deve sentir e precisava expulsar isso de alguma forma", revela. 

A letra da música traz trechos em francês, falados por Loïc Koutana (Teto Preto) e Yannick, em primeira mão - leia abaixo, ao final do texto.

O duo DKVPZ, que criou alguns dos beats de Bluesman (2018), transforma a base de  "Paris" em um ambiente confortável, sem quebras bruscas, para que Diogo Moncorvo, o Baco, possa soltar suas rimas e falar que algo, de fato, não ia bem com ele.

"Eu sei que você sabe que a vida é mais dura do que eu posso aguentar", rima Baco, na ponte entre a introdução e o refrão.

Em Bluesman, o segundo disco de Baco Exu do Blues, ele rimava em outra direção. O álbum era fechado dentro de um outro contexto. O antecessor Esú, por sua vez, funcionava como um retrato de um artista esmagado pela pressão criada em torno dele.

Em "En Tu Mira", música daquele disco, ele falava sobre suicídio e sobre a pressão que sentia. "O flash está me cegando / O álcool está me matando / Minha raiva está me matando / Sua expectativa em mim está me matando / Homem não chora, foda-se eu to chorando", dizia Baco ali.

É esse Baco que volta em "Paris, embora a voz agora esteja mais serena, como se a raiva do momento vivido em 2017 tivesse sido apaziguada, mas não desaparecido por completo. "Eu pus o dedo no gatilho, dessa vez não mirei nenhum inimigo", ele diz.

O trecho segue:

"O problema é comigo /
Me manter no auge será que eu consigo? /
Brindei com meus amigos /
Escondi minha depressão dos meus amigos /
Me tranquei em casa a procura de abrigo /
Eu já fudi minha vida por isso que esses merda nunca vão fuder comigo"

"Paris" também se apresenta como uma música de solidão. É a partir da partida de alguém que a música toda se estrutura, como se Baco Exu do Blues rimasse em vez de escrever uma carta para essa pessoa que já não está lá. "Eu não queria que soasse uma coisa adolescente dizer que só vivo por você", ele diz, em outro trecho.

"A verdade é que preciso entregar minha dor para o mundo pra ela nao me sufocar", ele revela. "Quero que [as pessoas] entendam principalmente que é normal uma lágrima negra e que ela não pode ser guardada", alerta. 

"Paris" tem a produção, composição e voz de Baco Exu do Blues, beats do DKVPZ e vozes faladas de Loïc Koutana e Yannick. 

Assista ao clipe de "Paris" e, abaixo, a letra da canção de Baco Exu do Blues: 

 

Leia a letra de "Paris":

"Outro cigarro e eu pensando no fim /
Não se jogue sem mim /
As minhas noias te tiraram de mim /
Os meus problemas te tiraram de mim"

"Eu sei que /
Você sabe /
Que a vida /
É mais dura /
Do que eu posso /
Aguentar"

"Eu não queria que soasse uma coisa adolescente dizer que só vivo por você /
Mas é que os inimigos testaram tanto minha fé que me acostumei a tá disposto a morrer /
Fiz da minha vida trabalho /
Trabalhei dobrado pro dinheiro crescer /
Só pra tirar férias com você"

(Refrão)

"Eu pus o dedo no gatilho, dessa vez não mirei nenhum inimigo /
O problema é comigo /
Me manter no auge será que eu consigo? /
Brindei com meus amigos /
Escondi minha depressão dos meus amigos /
Me tranquei em casa a procura de abrigo /
Eu já fudi minha vida por isso que esses merda nunca vão fuder comigo"

(Trecho de Loïc Koutana, traduzido para o português)

"Não aguento mais. Cada vez que eu te ligo, tu me engana. Não sei o que você quer de mim /
O que você quer de mim, porra? /
Estou sempre aqui por você, sempre aqui por você e você não me ouça /
Paguei até férias para nós. Organizei tudo. Você nunca me ouve, nem me apoia /
O que você quer de mim, porra? O que você quer de mim, porra?"

(Trecho de Yannick, traduzido para o português)

"Tio, vai dar tudo certo. Nao se preocupe, vai dar tudo certo, tá? /
Eu te entendo, não tem erros ruins, não tem escolhas ruins /
Somos irmãos, você não está só. Você não está só, tio"