Banda icônica dos anos 1980, Metrô se apresenta em São Paulo e relança disco clássico

Shows acontecem no Unibes Cultural nesta quinta, 11, e sexta, 12

Paulo Cavalcanti Publicado em 11/08/2016, às 19h44 - Atualizado às 19h45

Banda Metrô
Divulgação

Uma das bandas mais lembrada do BRock, o quinteto Metrô está de volta com sua formação original. O grupo se apresenta nesta sexta e sábado no Unibes Cultural, em São Paulo, a partir das 20h. Como sempre, à frente da trupe está a cantora Virginie Boutaud. Ela explica com seu marcante sotaque francês como se deu esse retorno inesperado aos palcos. “Em 2014, fomos convidados pelo Liceu Pasteur, onde estudamos, para um único show. E desde então voltamos a conversar sobre uma retomada da carreira”, relembra.

Um dos motivos do reencontro é celebrar o relançamento, pela Sony Music, de Olhar (1985), o álbum de estreia da banda. Foi um dos discos de maior sucesso do pop brasileiro da década de 1980 e, além do megahit “Beat Acelerado”, também trouxe as muito lembradas “Sândalo de Dândi”, “Tudo Pode Mudar” e “Ti Ti Ti”. Agora, o trabalho chega às lojas em um CD duplo no formato digipack. Além das músicas originais remasterizadas, ele vem repleto de surpresas: o novo Olhar traz vários remixes, como a de “Beat Acelerado”, que foi feita pelo DJ Zé Pedro, e faixas ao vivo gravadas em 1985 e também algumas demo.

Sobre esta nova fase do Metrô, Virginie diz que “tudo está sendo muito envolvente e empolgante”, acrescentando que “a equipe que está com a gente nos dá o maio apoio”. “Houve uma época em que estávamos dispersos pelo mundo e pelo Brasil. Agora, estamos todos em São Paulo e assim fica mais fácil viabilizar as apresentações ao vivo e também os futuros projetos.” No show, além dos hits já citados, a banda também irá lembrar material da Gota Suspensa, como era conhecido o Metrô antes de assumir o lado mais pop.

Virginie conta também que essa reedição de Olhar é um verdadeiro sonho de consumo para todos os fãs do Metrô. “O Dany [Roland, baterista] trabalhou na masterização da nova versão e o som está melhor do que nunca. Fizemos um trabalho de pesquisa intenso e conseguimos recuperar muita coisa. Resgatamos várias fitas cassete com material muito bacana: fotos, imagens, cartazes de shows, textos etc.”