Bandas brasileiras adaptam pôster polêmico do Dead Kennedys

Ratos do Porão, Wiseman, Cólera e outros grupos substituíram o nome da banda norte-americana para utilizar a arte desautorizada

Redação Publicado em 24/04/2019, às 16h24

None
Pôster adaptado pela banda Ratos de Porão (Foto: Cristiano Suarez / EV7 Live)

Várias bandas brasileiras aproveitaram o vai e vem da polêmica do pôster feito para a turnê do Dead Kennedys no Brasil. Ratos do Porão, Wiseman, Cólera, 90 Em Chamas, Atos de Vigança e muitas outras adaptaram a arte feita por Cristiano Suarez para se promoverem e utilizarem o tão comentado trabalho.

As novas versões, que podem ser vistas neste post, surgiram após o grupo norte-americano emitir um comunicado dizendo que não autorizou o uso da imagem como divulgação para os shows no país. 

+++ Solta o riff! Rolling Stone Brasil vai premiar o melhor riff com prêmios exclusivos no Instagram 

Suarez foi contratado pela empresa EV7 Live, uma das envolvidas na organização da turnê, e responsável por compartilhar o trabalho do illustrador, supostamente sem a autorização da banda.

No comunicado, o Dead Kennedys explicou que o cartaz "foi divulgado pelo promotor dos shows" sem o conhecimento dos integrantes, "e não é autorizado".

Depois disso, as bandas se movimentaram para usar o desenho. Em entrevista ao Uol, o artista disse que, por questões de contrato, não pôde oficialmente mudar a arte, mas que aprova as alterações feitas na internet.

"Achei bem legal a ideia do pessoal, acabou sendo uma repercussão legal. Em nenhum momento trataram com desrespeito, até porque eles sacaram qual era a ideia do cartaz. Todos eles estão dando crédito, não tem problema algum", contou Suarez ao portal de notícias.

A imagem em questão causou polêmica por ser uma crítica implícita ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, com uma favela em chamas, sangue e palhaços Bozo pilotando tanques de guerra. O desenho foi feito exclusivamente para divulgar as datas da turnê de maio pelo país. 

Entrevista RS: Di Ferrero fala sobre música pop, vida pós-NX Zero e projeto engavetado com Emicida: