Batalha judicial de Ringo Starr contra objeto sexual com seu nome chega ao fim

Desde 2008, a Pacific Coast Holdings comercializa um acessório sexual chamado Ring O, fazendo trocadilho com o nome de Ringo Starr

Itaici Brunetti Publicado em 30/06/2021, às 10h09

None
Ringo Starr no Grammy 2021 (Foto: Kevin Winter / Getty Images)

Ringo Starr e a Pacific Coast Holdings IP, LLC chegaram a um acordo em uma batalha judicial que acontece há 3 anos. Em 2019, a equipe de advogados do ex-Beatle abriu processo contra a empresa por comercializar um objeto sexual que faz trocadilho com o nome do baterista. 

Desde 2008, a Pacific Coast Holdings IP, LLC vende o produto sexual de nome Ring O, inspirado no nome de Ringo Starr. O acessório é um anel peniano vibratório, e os advogados do músico entraram com uma ação dizendo que o produto mancharia seu nome. 

+++LEIA MAIS: Por que Ringo Starr tinha pelo menos uma música em cada disco dos Beatles?

"Ringo é um artista conhecido internacionalmente que teve sua mão em uma variedade de serviços de entretenimento e produtos de consumo, como música, filmes, instrumentos musicais, mercadorias e roupas, entre outros", alegou a equipe de Ringo Starrna ação original. 

"Isso é ainda estabelecido pelo fato de que os produtos de Ringo são registrados em uma ampla variedade de classes. Uma vez que o nome do opositor [Ringo] está vinculado a uma ampla variedade de produtos, os consumidores provavelmente acreditarão que o mais novo empreendimento dele são os brinquedos sexuais. E essa é uma associação que Ringo não quer," concluiu a ação. 

Após três anos, a batalha judicial chegou ao fim e o caso foi resolvido. De acordo com o site Express UK, a marca está autorizada a continuar a comercializar o anel peniano com o mesmo nome. No entanto, agora deve haver sempre um espaço claramente definido entre a palavra "Ring" e a letra "O", para que não se torne uma palavra única como o nome do próprio Ringo.

+++LEIA MAIS: Quais são os melhores momentos de Ringo Starr como baterista? Ex-Beatle responde

A Pacific Holdings também se comprometeu a "evitar qualquer atividade que pudesse gerar confusão", ligando seus produtos ao ex-Beatle. Eles se comprometeram a "não degradar, manchar, depreciar ou menosprezar o nome ou a imagem de Ringo Starr."

As informações são do site Express UK


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL