Beastie Boys fatura US$ 1,7 milhão em ação contra marca de bebida energética

O grupo acusou a empresa de infringir os direitos autorais ao utilizar música em um vídeo promocional

Rolling Stone EUA Publicado em 06/06/2014, às 18h23 - Atualizado às 18h59

Beastie Boys
AP

O Beastie Boys ganhou US$ 1,7 milhão com um processo contra a marca de bebidas Monster Energy, acusando a empresa de uso indevido de uma música do grupo em um vídeo promocional da companhia, infringindo assim os direitos autorais dos artistas. As informações são da agência de notícias Reuters.

Beastie Boys recusa oferta para uso de "Sabotage" em comerciais e afirma que não fará mais música.

A dupla pediu US$ 2,5 milhões pelo uso inapropriado da música pela empresa, porém a Monster apurou que a quantia que ela devia não deveria passar de US$ 125 mil. A companhia chamou o caso de “ilógico”, admitindo que infringiu os direitos autorais do grupo, mas alegando que um empregado desavisado acreditou que a Monster tinha permissão para usar a música.

“Por mais que a Monster Energy tenha grande respeito à decisão do júri, nós discordamos fortemente disso”, falou o advogado da Monser, Reid Kahn, à Rolling Stone EUA. “A Monster Energy está desde o começo disposta a resolver essa questão de maneira justa e correta, e continuaremos tentando chegar a uma resolução para essa disputa”.

Beastie Boys envia carta em resposta ao uso de música do grupo em propaganda de brinquedos.

Um representante do Beastie Boys recusou-se a comentar a decisão, mas Adam “Ad-Rock” Horovitz fez um comunicado geral logo após o veredito. “Estamos felizes. Queremos apenas agradecer ao júri”, revelou.

Recentemente, o grupo de rap revelou que não tocaria mais junto por causa da morte de Adam “MCA” Yauch. “Não podemos entrar em turnê desde que MC morreu. Não podemos fazer música novamente”, disse Mike D. Os dois integrantes remanescentes também afirmaram que não permitirão o uso de músicas do Beastie Boys para uso em comerciais ou campanhas, como forma de atender a um pedido de Yauch.