Beatles enfrentam a fama em novo trailer do documentário The Touring Years

“Éramos crianças, estávamos todos bastante assustados”, diz Paul McCartney na prévia do filme dirigido por Ron Howard

Rolling Stone EUA Publicado em 28/07/2016, às 17h12 - Atualizado às 17h38

Os Beatles tocando em cena do documentário The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years

Ver Galeria
(2 imagens)

Um novo trailer do documentário de Ron Howard sobre os Beatles, chamado The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years, captura os integrantes do quarteto preocupado com os aspectos negativos de ser uma banda em ascensão à fama. Nas palavras de Ringo Starr: “Não podemos continuar para sempre como quatro garotos limpinhos com cabelos cortados tocando ‘She Love You’.”

LEIA TAMBÉM

[Galeria] As 10 melhores trocas de instrumentos dos Beatles

Entenda os mistérios por trás da capa de Abbey Road

[Lista] Dez grandes momentos da carreira de George Martin

O filme de Howard promete entregar novas imagens de shows dos Beatles. “Vamos poder usar as gravações em Super 8 que encontrarmos, mas que não têm som”, explicou o diretor à RS EUA, em 2014. “Agora podemos sincronizar e criar uma experiência de show imersiva e estimulante. Acredito que vocês se sentirão como se estivessem em algum lugar nos anos 1960, vendo como era estar lá, sentindo e ouvindo.”

O trailer mostra fãs entusiasmados gritando e quebrando barreiras policiais para ter um vislumbre dos Beatles e perseguir a banda. “Éramos crianças”, explica Paul McCartney no vídeo. “Estávamos todos bastante assustados”. A pressão público incutiu no grupo uma mentalidade “nós contra o mundo.”

“Éramos normais e o resto do mundo era louco”, lembrou George Harrison, também no trailer. A situação também os fez se preocuparem ainda mais com a estagnação artística. De acordo com McCartney, “começamos a ficar de saco cheio. Estávamos procurando algum lugar novo para ir.”

Assista ao trailer abaixo.

The Beatles: Eight Days A Week – The Touring Years tem lançamento mundial agendado para o próximo dia 16 de setembro nos cinemas. O longa cobrirá o período em que os Beatles cruzaram o mundo, incitaram a beatlemania e lançaram diversos discos clássicos (como A Hard Day’s Night e Rubber Soul), desde os shows no Cavern Club, em Liverpool, até a última apresentação regular deles, no Candlestick Park, em São Francisco (EUA), em 1966.

“O filme irá explorar o trabalho interno da banda – como eles tomara decisões, criaram a música e construíram uma carreira coletiva juntos – enquanto explora o extraordinário e singular talento musical dos Beatles, além das personalidades marcantes e complementares deles”, diz a sinopse.

O obcecado por Beatles e diretor vencedor do Oscar Ron Howard entrevistou também Yoko Ono e Olivia Harrison (última esposa de George Harrison) para o filme. “Aquele período de seis anos traz uma impressionante transformação em termos de cultura global e nesses quatro extraordinários indivíduos, que foram ao mesmo tempo gênios e seres extremamente fáceis de se identificar”, disse ele em entrevista recente à Rolling Stone EUA.

Howard tem a companhia dos produtores Nigel Sinclair (vencedor do Grammy e responsável por George Harrison: Living in the Material World e No Direction Home: Bob Dylan), Brian Grazer (Apollo 13 - Do Desastre ao Triunfo, Get on Up) e Scott Pascucci (George Harrison). Eles tiveram acesso ao vasto arquivo da Apple Corps, a companhia dos Beatles, assim como a gravações amadoras, feitas por fãs, para recriar shows nunca antes vistos. É o segundo documentário musical de Howard, que fez Made in America (2013), sobre o festival de Jay Z.