Beatles, Pink Floyd e Bob Marley: os 10 discos de vinil mais vendidos da década de 2010 [LISTA]

Ente clássicos históricos e atuais, até... uma trilha sonora? Conheça um pouco sobre cada uma dessas dez obras que marcaram a indústria do vinil

Redação Publicado em 12/01/2020, às 17h00

None
Abbey Road, Dark Side Of The Moon e Legend (Fotos:Reprodução)

O fim da década de 2010 é um assunto que gera certo debate. A década terminou com o fim de 2019, ou vai terminar com o fim de 2020 e, assim, começar uma nova em 2021? A resposta correta é a segunda opção, mas isso não altera o resultado do que estamos aqui para falar: os 10 discos de vinil mais vendidos da década.

Como é possível ver na lista abaixo, a grande maioria é composta por clássicos lançados entre 1959, como o Kind of Blue, do Miles Davis, e 1984, como o Legend, do Bob Marley & The Wailers. Essa parcela compõe 67% da lista.

O surpreedente e curioso é ver na lista os discos de vinil que não fazem parte dessa grande maioria mencionada acima, que por sua vez são trabalhos lançados muito (e muitos) anos depois do período exemplificado. Desse lado temos Born to Die, da Lana Del Rey, de 2012, e até a trilha sonora de Guardiões da Galáxia, de 2014.

Veja abaixo a lista completa dos discos de vinil mais vendidos da década de 2010.

10 - Lana Del Rey – Born To Die – 283 mil cópias

Ano de lançamento: 2012

No ano em que foi lançado, o segundo disco da cantora Lana Del Rey foi o 5º mais vendido em todo o mundo, e, em 2014, já havia vendido mais de 7 milhões de cópias. 

+++Leia mais: Strokes, Guns N' Roses, Travis Scott e Lana Del Rey lideram o line-up do Lollapalooza 2020

Born to Die ficou mais de 300 semana não consecutivas no top 200 da Billboard, ranking no qual chegou a ocupar a segunda posição. 


9 - Miles Davis – Kind of Blue – 286 mil cópias

Ano de lançamento: 1959

Kind of Blue é considerado por muitos críticos como o maior álbum de jazz de todos os tempos, e também a obra prima do trompetista Miles Davis, além de ser citado como o disco de jazz mais vendido da história.

+++Leia mais: Música perdida de Miles Davis é lançada; ouça "Paradise"

Em 2003, entrou para a lista dos 500 maior discos de todos os tempos, organizada pela Rolling Stone EUA, na posição de número 12.


8 - Fleetwood Mac – Rumors – 304 mil cópias

Ano de lançamento: 1977

O 11º trabalho da banda de rock norte-americana teve um período de produção um tanto quanto conturbado, marcado por conflitos entre os integrantes e hedonismo.

As sessões de gravação foram regadas a festas e cocaína, o que resultou em atrasos na finalização do álbum.

+++Leia mais: Traições e US$ 1 milhão em drogas: os 50 anos do Fleetwood Mac

Rumours conquistou a 1ª posição tanto na lista dos 200 discos da Billboard, dos Estados Unidos, quanto na United Kingdom Albums Chart, e é o lançamento de maior sucesso do Fleetwood Mac, além, claro, de ter conquistado um Grammy na categoria de Álbum do Ano, em 1978.


7 - Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – 313 mil cópias

Ano de lançamento: 1967

O icônico oitovo álbum dos Beatles marcou toda uma geração, e na época do lançamento, foi enaltecido pela produçã inovadora, instrumentais e letras criativas e design gráfico. O trabalho também foi reconhecido por unir as até então separadas música popular e arte erudita.

+++Leia mais: Por que a ideia de John Lennon para a capa do Sgt. Pepper's foi rejeitada?

Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band passou 27 semanas no topo da UK Albums Chart, e 15 semanas na primeira posição da lista norte-americana da Billboard, além de ter conquistado quatro Grammys em 1968, incluindo o de Álbum do Ano, sendo o primeiro disco de rock a conquista tal prêmio.


6 - Michael Jackson – Thriller – 334 mil cópias

Ano de lançamento: 1982

Como inspiração para Thriller, Michael Jackson partiu do princípio de que queria fazer um álbum no qual "todas as músicas seriam matadoras", o que influenciou também no nome do projeto.

Musicalmente, o cantor buscou se distanciar da música disco (predominante no antecessor Off the Wall), que passava por um momento de rejeição na época. Com isso em mente, explorou gêneros como pop, pós-disco, rock e funk, além de contar com a participação de Paul McCartney, primeiro músico a aparecer como colaborador em um trabalho de Jackson.

+++Leia mais: De Bruce Lee a Michael Jackson: As 13 celebridades que mais lucraram após a morte entre 2010 e 2019

O 6º disco do (hoje controverso) astro do pop, assim como quase todos os trabalhos mencionados nessa lista, chegou ao topo da Billboard 200.


5 - Amy Winehouse – Back to Black – 351 mil cópias

Ano de lançamento: 2006

O segundo (e infelizmente último) álbum de Amy Winehouse apresenta temas pesados, indicado já a partir do título, como culpa, traição, tristeza e sofrimento.

Essa temática teve origem no relacionamento conturbado da cantora britânica com o ex-namorado (que viria a se tornar marido) Blake Fielder-Civil, que a havia deixado para voltar com a ex-namorada dele.

+++Leia mais: Ex-marido de Amy Winehouse pede R$ 4.6 milhões da herança da cantora

Back to Black ganhou o Grammy de Melhor Álbum Vocal de Pop, e foi indicado a Álbum do Ano. Na mesma cerimônia, Amy ganhou outros quatro prêmio.


4 - Bob Marley & The Wailers – Legend – 364 mil cópias

Ano de lançamento: 1984

O único exemplo de uma coletânea de maiores hits presente na lista, Legend reúne os principais sucessos de Bob Marley & The Wailers, e é o disco de reggae mais vendido de todos os tempos, com mais de 28 milhões de cópias vendidas em todo mundo.

O álbum conquistou a 46ª posição na lista da Rolling Stone EUA dos 500 maiores discos de todos os tempos, e até 2017, já havia completado 500 semanas não consecutivas na Billboard 200, tornando o trabalho o segundo disco a ficar mais tempo no ranking.


3 - Guardians of the Galaxy Awesome Mix Vol. 1 – 367 mil cópias

Ano de lançamento: 2014

No meio de tantos clássicos e nomes históricos do mundo da música, mais uma exceção: uma trilha sonora, e ainda por cima, lançada recentemete se comparada aos outros nomes aqui listados.

+++Leia mais: Guardiões da Galáxia 3: James Gunn sugere morte de personagem importante

A coletânea ficou 11 semana consecutivas no topo da lista da Billboard de trilhas sonroas mais ouvidas, e 16 ao todo no ranking, além de ter sido o segundo mais vendido dessa categoria nos Estados Unidos em 2014, atrás apenas de Frozen.

A tracklist conta com Davis Bowie, Jackson 5, The Runaways, Marvin Gaye, Raspberries e mais.


2 - Pink Floyd – Dark Side of the Moon – 376 mil cópias

Ano de lançamento: 1973

Sem dúvida alguma um dos maiores discos de todos os tempos, o oitavo álbum do Pink Floyd impactou incontáveis gerações do rock e da psicodelia no geral.

The Dark Side of the Moon, porém, se distanciou um pouco dos antecessores por ser mais breve e não se apoiar tanto em longas passagens instrumentais, como era o caso dos anteriores.

+++Leia mais: David Gilmour relembra da única vez em que viu o Pink Floyd tocar ao vivo: "Eu estava muito chateado"

As faixas abordam temas como conflito, ganância, tempo, morte e distúrbios mentais, esse último inspirado na história de Syd Barrett, integrante e fundador do grupo, que deixou a banda em 1968.

A capa, uma das mais memoráveis de todos os tempos, foi feita pelo designer britânico Storm Throgerson, e reflete o pedido do tecladista Richard Wright por uma imagem "simples e ambiciosa".

+++Leia mais: David Gilmour diz que saída de Roger Waters do Pink Floyd foi libertadora; entenda

O trabalho não é apenas o disco mais vendido do Pink Floyd, mas também um dos mais vendidos de todos os tempos, além de ser considerado um dos maiores e melhores álbuns da história, que já soma mais de 900 semanas no ranking da Billboard 200.


1 - Beatles – Abbey Road – 558 mil cópias

Ano de lançamento: 1969

E aqui estão os Beatles mais uma vez. É claro que o 11º disco do quarteto de Liverpool não ficaria de fora, já que é (assim como quase todos os trabalhos do grupo) um clássico universal e atemporal.

Abbey Road incorporou novos elementos à sonoridade da banda, além de ter explorando mais a fundo alguns já existentes, como o rock, pop e blues. O álbum utilizou também técnicas de gravação não usadas por eles em outros projetos, o que resultou em um som mais limpo e claro.

+++Leia mais: Há 50 anos, os Beatles atravessavam a Abbey Road a pé e criavam uma das capas mais icônicas da história

Na época do lançamento, houve quem dissesse que o disco não era autêntico, além de ter recebido críticas pelo uso de "efeitos artificiais". Mas no geral, é tido pela maioria como um dos melhores e mais finos trabalhos dos Beatles.

Além disso, Abbey Road abriga na tracklist duas daquelas que são consideradas as melhores músicas já compostas pelo guitarrista George Harrison: os clássicos "Something" e "Here Comes the Sun".

+++Leia mais: 50 anos de uma obra-prima: 9 curiosidades sobre Abbey Road, dos Beatles [LISTA]

Como se tudo isso não fosse o suficiente, a icônica capa ainda foi responsável pelo surgimento da teoria da conspiração de que Paul McCartney estava morto.


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'