Pulse

Beatles: qual integrante do quarteto obteve a melhor estreia solo?

Ao anunciarem o fim da banda, os quatro integrantes a banda já buscavam os seus projetos solos

Redação Publicado em 07/05/2019, às 11h00

None
Capa do disco Abbey Road, dos Beatles (Foto: Reprodução)

Quando os fãs dos Beatles descobriram que a banda se separou em abril de 1970, os quatro integrantes da banda já estavam seguindo caminhos diferentes. E foi assim que Paul McCartney conseguiu lançar seu álbum antes mesmo de Let It Be chegar às lojas de discos naquele ano.

McCartney, o álbum de estreia do Paul, que John Lennon classificou como “lixo”, ainda assim conquistou muitos fãs. O disco conquistou o primeiro lugar no Hot 200 da Billboard e ficou até Let It Be chegar ao topo também.

No final do ano, os fãs deram uma olhada no que os outros dois grandes compositores do grupo tinham para oferecer. George Harrison entregou o disco triplo All Things Must Pass e o primeiro álbum solo de John chegou na sequência, dando aos críticos a chance de comparar o trabalho dos três compositores.

Embora possa ser nebuloso determinar exatamente o que fez de um álbum ter um maior do que outro, George facilitou o processo com All Things Must Pass. Ele ficou em primeiro lugar na parada Billboard 200 no início de 1971 e permaneceu no topo por sete semanas, emplacando como o disco solo de mais sucesso entre os três.

O álbum de McCartney ficou em primeiro lugar durante três semanas, enquanto o do Lennon, que chegou em 1970, não emplacou nas mesmas posições.

Observando o sucesso dos singles dos álbuns, George também superou os antigos companheiros de banda com "My Sweet Lord". Na questão mercadológica, All Things Must Pass foi certificado como platina seis vezes, o que significa que registrou mais de 3 milhões de vendas como álbum duplo nos Estados Unidos. All Things Must Pass tornou-se um dos álbuns mais vendidos dos anos 70.

Mas isso não significa que McCartney e Lennon também não tenham conquistado o seu mérito. McCartney, afinal, impulsionou o seu projeto com a publicidade do rompimento dos The Beatles (que ele havia anunciado). O disco de Paul vendeu um milhão de cópias em um mês e registrou, no total, registrou 2,5 milhões de vendas nos EUA.

A estreia de John também gloriosa e acabou vendendo quase um milhão de unidades ao longo dos anos. Para a maioria dos artistas, esse tipo de sucesso é uma coisa única na vida. Mas para John e Paul, que tinham dezenas de singles e álbuns número 1 na década anterior, era provável que fosse um alerta.

Com todo o sucesso de George, a ideia de ele voltar aos Beatles ficou fora de questão. Ele não tinha medo de falar sobre o assunto, pois dizia que "todos estavam gostando de ser indivíduos".

Todos podem ter ficado surpresos ao descobrir que George teve mais sucesso com seu álbum de estréia.

+++ Cheia de amor, Cynthia Luz se posiciona como dona da voz (rouca) em ascensão do pop e R&B nacional