Morena Baccarin fala sobre Homeland em São Paulo

Vivendo nos Estados Unidos há 25 anos, atriz brasileira comentou o papel na série, que chega à TV paga em 4 de março

Murilo Basso Publicado em 29/02/2012, às 17h50 - Atualizado às 17h59

Morena Baccarin
Divulgação

Morena Baccarin, atriz brasileira radicada nos Estados Unidos desde os 7 anos, veio a São Paulo para divulgar a série Homeland, que tem estreia no Brasil em 4 de março, às 22h, no canal pago FX. Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quarta, 29, a atriz revelou detalhes sobre a personagem que interpreta, Jessica, esposa do protagonista Nicholas Brody (Damian Lewis).

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Homeland conta a história do sargento Nicholas, que retorna ao lar após passar oito anos como prisioneiro. Ao voltar aos Estados Unidos, Carrie Mathison (Claire Danes), agente da CIA, suspeita que Brody possa ter se transformado em terrorista. Jessica, acreditando que o marido havia morrido no Iraque, acaba se envolvendo com o melhor amigo dele. A série, dos mesmos produtores de 24 Horas, ganhou dois prêmios no último Globo de Ouro: Melhor Série Dramática e Melhor Atriz em Série Dramática para Claire Daines.

Morena ficou conhecida por interpretar a alienígena Anna, na série V (2009-2011). Para ela, as semelhanças entre os seriados se restringem à temática, que gira em torno do terrorismo. "Foi o papel certo na hora certa", reflete sobre sua atual séria. "Homeland é mais humana - a abordagem de questões como o medo, o terrorismo e não saber de que lado você está - são semelhantes. É algo bem norte-americano."

A preparação para interpretar Jessica começou em cima da hora, com Morena entrando no seriado já em sua fase final de produção, sem ter tempo hábil para uma pesquisa mais extensa. "Procurei na internet por grupos de mulheres de soldados que estavam na guerra", conta.

Morena também relembrou a experiência dos ataques de 11 de setembro. "Foi algo que afetou muitas pessoas, mas teve seu lado bom: Nova York se uniu. Nós vivemos muito tempo com medo, precisávamos acordar para o fato de que os Estados Unidos também são vulneráveis, que [é um país que] também está sujeito a isso”, analisa a atriz, que relaciona aquele momento com o enredo de Homeland, que aborda a guerra e suas consequências para o cidadão comum, sem receio de passar por questões mais polêmicas.

As gravações para a segunda temporada devem começar em maio, com locações na Carolina do Norte e em Israel. A atriz adianta que a trama se passará dois anos após o final da primeira temporada e que a série não deve se prolongar. "Não dá para segurar as surpresas. É um tipo de série que não pode durar muito tempo", admite. "Agora vamos ver que caminhos os roteiristas irão seguir. Acredito que três ou quatro temporadas serão suficientes.”

Próximos trabalhos

Apesar do reconhecimento internacional, Morena admite a vontade de trabalhar em sua terra natal. A atriz já recebeu sondagens da Rede Globo para participar de novelas, no entanto não foi possível conciliar com sua agenda. "Mas tenho algo para esse ano e estou com os dedos cruzados para que dê certo", conta. Morena fará uma participação na série The Good Wife no próximo mês e revelou que começará a gravar o filme Old Days, uma comédia dirigida por Michael Rosenbaum, o Lex Luthor de Smallville.