Beyoncé e Jay-Z organizam evento para a campanha de Barack Obama

Em outro encontro para angariar fundos para a campanha, o presidente atacou os concorrentes: “Eles irão soterrar vocês com publicidade"

Rolling Stone EUA Publicado em 19/09/2012, às 14h02 - Atualizado às 14h24

Beyoncé e Jay-Z
AP

Beyoncé e Jay-Z organizaram uma festa para angariar fundos para a campanha do presidente Barack Obama, nesta terça-feira, 18, segundo o site do jornal The New York Times. Obama manteve o discurso positivo para um público de 100 pessoas, que pagaram US$ 40 mil cada (cerca de R$ 81 mil) para entrar no 40/40 Club, do qual Jay-Z é um dos proprietários.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

"Não quero que as pessoas sejam complacentes, mas eu também não quero que se sintam desencorajadas", disse Obama. "Nós estamos à beira de uma eleição, mas, mais importante, estamos prestes a mover os Estados Unidos para uma direção mais íntegra, mais justa... A economia irá crescer de uma maneria que incluirá a todos, e seremos uma nação respeitada ao redor do mundo porque estamos passando à frente os nossos melhores valores e ideais."

Ao apresentar o presidente, Beyoncé foi breve. "Eu não consigo dizer o quanto nós estamos orgulhosos de termos organizado o evento desta noite com o presidente Obama", disse ela. "Nós acreditamos na visão dele".

Obama disse que a cantora era um bom modelo de conduta para suas filhas e ainda brincou com a simpatia que sente por J-Zay porque "nós dois temos filhas e nossas esposas são mais populares do que nós".

Antes, Obama compareceu em outra festa, no Waldolf-Astoria, onde os bilhetes de entrada mais baratos eram de US$ 12,5 mil (R$ 25 mil). "Essas pessoas [republicanos] têm as Super PACs [comitês de ação política onde não há restrição de número de contribuintes ou de valor doado] que escrevem para eles cheques de US$ 10 milhões e, com isso, vocês serão enterrados de publicidade como nunca viram antes", disse Obama no Waldolf. "Nós não conseguimos igualar essas pessoas dólar a dólar."