Beyoncé: tudo que você precisa saber sobre Lemonade, novo álbum visual da cantora

Estrela pop contou com colaborações da família, Jay Z e Blue Ivy, poderosas mulheres negras e Kendrick Lamar, James Blake, Jack White e The Weeknd, entre outros

ELIAS LEIGHT Publicado em 25/04/2016, às 19h16 - Atualizado às 20h14

A cantora Beyoncé em cena do especial Lemonade
Reprodução

Quando Beyoncé surpreendeu o público com o quinto disco solo dela, em 2013, o acontecimento mostrou a maestria dela em mexer com as alavancas do panorama pop da atualidade. Em uma época na qual cada passo de uma celebridade acaba no Instagram, exposto para todos, ela conseguiu montar um álbum inteiro – todo acompanhado por vídeo – em segredo.

Beyoncé está mostrando um pouco mais as cartas que tem na manga desta vez – ainda que o lançamento de “Formation” tenha sido retumbante, ele alertou o mundo de que novas músicas da cantora estavam por vir. Neste mês, ela também chegou a dar pistas de algo chamado Lemonade no Instagram.

A cantora incendiou os fãs com um curto trailer na HBO para alguma produção visual, com barulhos agitados, luzes piscando e pronunciamentos vagos em voiceover: “O passado e o presentem se unem para nos encontrar aqui”. Ninguém sabia o que o “Evento de Lançamento Mundial” incluiria, mas todos sabiam que algo estava vindo.

Quando Lemonade saiu na noite do último sábado, 23, na HBO (com sinal aberto no Brasil durante o fim de semana), descobriu-se que se tratava de um novo álbum visual dela. As músicas já estão disponíveis no Tidal e, abaixo, veja tudo que você precisa saber sobre o especial da TV, que teve uma hora de duração.

Estrutura

Lemonade é um álbum visual – diversos videoclipes divididos por títulos de capítulos, como “Intuition”, “Denial”, “Apathy”, “Emptiness” e “Resurrection” – e conectados pela voz de Beyoncé lendo poesias de Warsan Shire.

Linha narrativa

Lemonade traça a história de infidelidade e reconciliação. Começa com Beyoncé questionando um relacionamento. “Você está me traindo?”, ela pergunta ao espectador. Quando as evidências da infidelidade começam a aparecer, o primeiro passo é o protesto – “They don't love you like I love you”, canta ela em “Hold Up” –, seguido pela raiva: “I'm gonna fuck me up a bitch”, diz ela, com um taco de baseball nas mãos (depois ela acrescenta: “You ain't married to an average bitch, boy!”).

Ela então aparenta relaxar o tema de uma parceria não fidedigna – “Me and my baby gonna be alright, we gonna live a good life” – e o enredo muda em direção a um “cessar fogo” e à reunião. O especial chega ao fim com imagens de casais felizes e uma asserção de que nossa heroína segue em frente. “Meu torturador se tornou meu remédio”, explica Beyoncé. “Então vamos nos curar. Vamos começar novamente.”

Enquanto ela passeia pelo enredo do relacionamento, ela também conta uma história da experiência de ser uma mulher negra. Um trecho retirado de um discurso de Malcom X declara: “A pessoa mais desrespeitada nos Estados Unidos é a mulher negra. A pessoa mais desprotegida nos Estados Unidos é a mulher negra. A pessoa mais negligenciada nos Estados Unidos é uma mulher negra. “

Homens são praticamente ausentados do filme, fisicamente e emocionalmente. No lugar deles, vastos grupos de mulheres aparecem diversas vezes, revelando uma união baseada na solidariedade e irmandade.

Visual

Lemonade passeia por diversos cenários, mas a maioria é de referência à região sul dos Estados Unidos – uma casa na plantação, varandas abafadas, um curto trecho em que Beyoncé anda a cavalo, referência a Nova Orleans, cenário pantanoso. As chamas são outro tema frequente: no começo do especial, a cantora encara a câmera enquanto tudo atrás dela explode; depois, ela posa soberanamente atrás de uma parede de fogo.

Imagens de túneis e passarelas também são frequentes: Beyoncé canta uma das músicas no fim de uma longa passagem de tijolos, e a câmera frequentemente arrasta-se devagar e desce uniformemente por corredores e entradas, criando tensão (como se fosse um filme de terror). A própria Beyoncé assina parte da direção, junto a Kahlil Joseph, Melina Matsoukas, Todd Tourso, Rikayl Rimmasch, Jonas Akerlund e Mark Romanek.

Participações

Beyoncé juntou um número grande de poderosas mulheres negras para ajudá-la com Lemonade, um grupo que inclui a estrela do tênis Serena Williams, as jovens atrizes Quvenzhané Wallis e Amandla Stenberg e a atriz/cantora Zendaya. Sybrina Fulton, mãe de Trayvon Martin, e Lesley McSpadden, mãe de Michael Brown, também aparecem. Jay Z e Blue Ivy ambos são exibidos em partes mais próximas do fim do filme, quando a história foca na reconciliação e felicidade futura.

Alguns participantes também são ouvidos, mas não vistos. The Weeknd oferece vocais durante “6 Inch”, e James Blake contribui com “Forward”. Beyoncé usa proeminentes samples de “Walk On By” (de Isaac Hayes) e um discurso de Malcolm X. Ela também homenageia Nina Simone, deixando a voz da cantora sair de uma vitrola sem qualquer manipulação. Ainda que Kendrick Lamar esteja no álbum (faixa “Freedom”), ele não canta na apresentação visual. Jack White, também colaborador (“Don’t Hurt Yourself”), não é visto e nem ouvido no especial.

Música

As músicas Lemonade são em sua maioria um passo além do poder explosivo de Beyoncé (2013) e dão sequências ao trabalho de singles como “7/11” e “Formation”. A percussão influenciada pelo trap que domina o pop ficou majoritariamente de fora e algumas faixas no filme são decorrentes de baladas ao piano, com muitos teclados e camadas vocais. Uma música, “Daddy Lessons”, se aproxima do country blues, com injeções de uma animada brass band e influências de funk e gospel.