Billie Joe Armstrong revela quantas músicas já compôs durante a quarentena; spoiler: já dá um EP

O vocalista do Green Day revelou que há muito material novo para ser gravado com Mike Dirnt e Tré Cool após o surto de coronavírus

Redação Publicado em 06/04/2020, às 11h12

None
Billie Joe Armstrong, vocalista do Green Day (Foto: YouTube / Reprodução)

Em meio às turnês canceladas e à falta de atividade do Green Day durante a quarentena, o vocalista Billie Joe Armstrong ainda se manteve ocupado, divulgando o novo EP da banda, Otis Big Guitar Mix, na última sexta, 3.

Esse tempo em isolamento social também proporcionou a Billie Joe a chance de compor novas músicas constantemente, como ele informou à revista Kerrang, acrescentando que há muito material novo do Green Day para ser gravado com Mike Dirnt, baixista, e Tré Cool, baterista, assim que o surto de coronavíruspassar.

+++LEIA MAIS: Post Malone, Miley Cyrus e Green Day: 9 covers do Nirvana que você não sabia que existiam

“Eu escrevi muitas músicas, e eu tinha todas essas melodias em mente (...) Escrevi umas seis músicas”, disse ele. “Mas eu disse para [Mike e Tré] manterem a quarentena por enquanto. Espero que possamos voltar ao estúdio com Butch Walker [produtor do álbum Father of All Motherfuckers].”

Ao ser questionado sobre o que mais ele tem feito recentemente, Billie Joe revelou: “Eu estou num ambiente isolado como todo mundo no planeta, esperando pelo que virá depois. Tenho visto The Office e todos os meus documentários de punk e rock n’ roll, tentando ler um pouco aqui e ali.”

+++LEIA MAIS:Billie Joe Armstrong grava cover no quarto durante quarentena causada pelo novo coronavírus; ouça

"Sinto-me bastante perdido", acrescentou. “Muitas pessoas estão tentando fazer o que é certo e ficar com a família o máximo que podem. Foi difícil, porque eu não pude ver [meus dois filhos] Joey ou Jakob a princípio, enquanto eles estavam em turnê pela Europa. Tivemos que manter distância, e tem sido apenas eu e [minha esposa] Adrienne. Quando você enfrenta essa separação, percebe que subestimamos algumas das coisas que mais importam para nós.”

 


+++ DISCOGRAFIA DO THE STROKES: OS ALTOS E BAIXOS DOS ARRUACEIROS DE NOVA YORK