Billy Corgan descreve parceria com Tommy Lee como “Supersonic Pumpkins”

Vocalista do Smashing Pumpkins compara maneira de tocar do baterista do Mötley Crüe com a de John Bonham, do Led Zeppelin

Rolling Stone EUA Publicado em 11/05/2014, às 11h32

Galeria – Separações mais conturbadas do rock- Smashing Pumpkins 2
Reprodução / Site oficial

A participação do baterista do Mötley Crüe, Tommy Lee, no novo disco do Smashing Pumpkins, Monument to an Elegy, veio depois de Billy Corgan afirmar: “Nós precisamos de alguém como Tommy para tocar nessa canção”. Jeff Schroeder, guitarrista da banda, replicou: “Bem, por que não vamos atrás dele?”. Depois disso, Lee contribuiu em todas as nove faixas do álbum, como Corgan confirmou no site oficial do Smashing Pumpkins.

Veja a foto de Tommy Lee ao lado de Billy Corgan aqui.

“Há algumas semanas, eu mostrei a ideia a Tommy Lee, toquei para ele todas as canções nas quais trabalhei duro para finalizar, e nós discutimos a maneira como chegaríamos a algo em comum no estúdio”, escreveu Corgan. “Isso explica a pressa para preparar os arranjos para ele poder encaixar a bateria, e ainda nosso ‘trabalho debaixo dos panos’. Então, nada nem ninguém poderia influenciar no processo.”

O resultado foi um conjunto de nove canções que, segundo Corgan, são “épicas de maneira indescritível”. Ele também chamou a parceria de “Supersonic Pumpkins”. “Tommy toca a bateria de maneira esmagadora, mas como muitos fãs sabem, nada é sem fundamento, já que ele tem um ouvido fantástico para música e brinca com as canções de um jeito que só aumenta a expectativa”, escreveu Corgan. “Só consigo ouvir esse tipo de fenômeno com John Bonham, do Led Zeppelin: um fenômeno no qual baterias pesadas podem soar tenras e expressivas. Certamente uma boa companhia!”

Veja em que posição está Mellon Collie and the Infinite Sadness na lista dos 10 maiores álbuns duplos de todos os tempos, segundo os leitores da Rolling Stone EUA.

Corgan disse que conheceu Lee em 1991, quando o baterista assistia a um show do Smashing Pumpkins. Depois disso, eles se encontraram outras vezes ao longo dos anos. “E a parceria não é tão bizarra quanto algumas pessoas presumem”, ele escreveu. De fato, ambos os músicos gostam de aderir às novas tecnologias para criar novos sons. “Ele é uma pessoa calorosa e maravilhosa para se ter por perto, e eu não teria oferecido a ele essa proposta se eu não confiasse que isso seria algo pelo qual nós dois ficaríamos orgulhosos”, escreveu Corgan. “Então, esperamos terminar a bateria em algumas semanas, tendo em vista que estamos com pressa para divulgar esse negócio e Tommy ainda tem a megaturnê do Mötley Crüe para fazer.”

Em março, Corgan revelou que está trabalhando em dois discos do Pumpkins para 2015, Monuments to an Elegy e Day for Night. “Àqueles que possam se interessar na música: ‘guitarras, guitarras, guitarras e mais guitarras’”, escreveu ele na época. “Mas mostrando um lado mais épico do que, digamos, grosseiramente metálico.”