Bolsonaro ameaça 'ir para porrada' com senador Randolfe Rodrigues depois de chamá-lo de 'bosta'

Em novo trecho do telefonema com Jorge Kajuru, Bolsonaro xinga Randolffe Rodrigues, autor do pedido de investigação sobre governo durante a pandemia

Redação Publicado em 12/04/2021, às 15h49

None
Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Bilo / Estadão Conteúdo / Agência Estado / AP Images)

Nesta segunda, 12, o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgou o áudio completo do telefonema com Jair Bolsonaro (sem partido). Na gravação, o presidente pressiona por uma mudança na investigação sobre atuação do governo federal na pandemia - além de xingar o senador Randolffe Rodrigues (REDE-AP), autor do pedido de apuração. 

Kajuru participou do programa Manhã Bandeirantes nesta segunda, e divulgou o restante do áudio da conversa com Bolsonaro. No áudio, além de reclamar sobre a investigação do governo durante a pandemia, o presidente fala em “ir para a porrada” com o senador Randolfe Rodrigues.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro reclama de investigações sobre governo na pandemia: 'Completamente direcionada contra mim'

Durante a conversa, Kajuru explica que, se a CPI for “revanchista”, ele não iria participar. Em seguida, Bolsonaro responde: “Se você não participa, a canalhada do Randolfe Rodrigues vai participar. E vai começar a encher o saco. Aí vou ter que sair na porrada com um bosta desse.”

De acordo com Kajuru (via site Blog do Datena), o áudio completo não foi divulgado para preservar o senador: “Era desnecessário, na minha opinião. De graça. Tem inimizade entre eles? Tem, Randolfe é líder da oposição. Mas eu achei que o melhor para os dois era essa parte não ser colocada. Não tinha nada a ver. Era um desabafo. Mas ele quis o restante, então coloquei. Pronto, acabou”

+++LEIA MAIS: Bolsonaro xinga Doria de 'vagabundo, c***', e governador responde

Após o senador divulgar parte do áudio no último domingo, 11, o presidente criticou a gravação, e disse estar incompleta. Segundo o Valor Econômico, Bolsonaro declarou: “Só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte, tá?” No entanto, para o senador, a afirmação não é verdadeira.

Em participação no programa Manhã Bandeirantes, Kajuru explicou que avisou sobre a gravação da conversa e sobre a divulgação do áudio: “Todo mundo que conversa comigo em Brasília eu gravo por precaução. Já avisei isso na tribuna do Senado. No caso do presidente, avisei ontem [sobre a divulgação da gravação] às 12h40. Na noite de sábado esse foi o motivo principal da minha conversa com ele. Ele me elogiou, falou ‘parabéns, nota 10’ pelo pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes. Aí começou a reclamar da questão da CPI ser só com o governo federal (...)”

+++LEIA MAIS: Com 10% da população imunizada, Bolsonaro promete acelerar vacinação no país

O senador continuou, e explicou que o motivo da divulgação do áudio foi para proteção do presidente: “Ontem às 12h40, quando liguei para avisar que o requerimento estava pronto, avisei [sobre divulgação]. Falei ‘olha, vou colocar nossa conversa no ar, vai ser importante’. Foi um desabafo dele. Considerei que foi uma proteção a ele mostrar ao Brasil que ele está se sentindo prejudicado.”

Em seguida, Kajuru justificou o motivo de não divulgar a gravação inteira: “Ele usou a palavra ‘sacana’ porque estava chateado. A única parte que não coloquei para protegê-lo, achei desnecessário, foi quando ele ofendeu um senador e falou que iria para porrada. Falei ‘calma, não é hora disso, a hora é de paz’. Se quer que eu convença os outros, preciso ir com passe. Mostrar que está xingando não adianta nada. Quis protegê-lo porque acho injusto, a CPI vira revanchismo. Foi minha intenção. Só isso.”

+++LEIA MAIS: Bolsonaro menospreza recorde de óbitos por Covid-19: 'Em todo local está morrendo gente'


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL