Bolsonaro chama CPI da Covid de 'tribunal de exceção' e critica tratamento a Nise Yamaguchi

O presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para prestar “solidariedade” à medica Nise Yamaguchi, que depôs na CPI da Covid na terça, 1º de junho

Redação Publicado em 02/06/2021, às 10h54

None
Bolsonaro de máscara olhando para o lado (Foto: Andre Coelho/Getty Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a CPI da Covid e o tratamento à médica Nise Yamaguchi, que depôs na terça, 1º de junho. Em publicação no Twitter, o presidente chamou a Comissão de “verdadeiro tribunal de exceção”. As informações são do UOL.

Durante depoimento na terça, 1º de junho, Nise Yamaguchi, defensora do "tratamento precoce" para Covid-19, disse que se sentia “agredida” ao ser vista como participante de um “gabinete de exceção”. A médica se referia ao “gabinete paralelo”, citado por integrantes da Comissão como um grupo que aconselhava o presidente Bolsonaro em relação ao enfrentamento da pandemia.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro sobre vacina contra Covid-19: ‘O tempo todo o pessoal enchendo’

Bolsonaro escreveu no Twitter: "Minha solidariedade à Dra. Nise, médica e cientista com extenso currículo, que participou de um verdadeiro tribunal de exceção. É inadmissível que profissionais de saúde sejam tratados de forma tão covarde!"

O presidente continuou a defender a autonomia médica, mas não citou a falta de eficácia científica de remédios defendidos para o chamado “tratamento precoce”: "É preciso respeitar a autoridade e a autonomia médica. Médicos devem ter liberdade para salvar vidas e isso vem sendo ameaçado por um grupo político que atua visando somente atacar o Governo enquanto nega investigar desvios de recursos para o combate à pandemia," concluiu.

+++LEIA MAIS: ‘Olha o exemplo que estou dando’, diz Bolsonaro sobre tomar cloroquina


+++ SUPLA | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL