Bolsonaro diz que Amazônia é maior que a Europa - e, bom, ele está bastante errado

O presidente ainda atribuiu a responsabilidade pelas queimadas na região aos povos indígenas: "É o índio que toca fogo, é a cultura dele"

Redação Publicado em 24/07/2020, às 11h52

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Na última quinta, 23, Jair Bolsonaroafirmou que a Amazônia é "maior" que a Europa - e, bom, ele está bastante errado.

+++LEIA MAIS: Viola Davis se arrepende de ter estrelado em Histórias Cruzadas: 'Me traí'

Segundo os portais Uol e Estadão Conteúdo, além de minimizar as queimadas que ocorrem na Amazônia, dizendo que "não pega fogo", o Presidente do Brasil atribuiu a responsabilidade aos indígenas.

"Se vocês olharem bem, na região Amazônica não tem nada vermelho. A floresta não pega fogo", constatou Bolsonaro ao mostrar a foto de um satélite da NASA (assista abaixo). "Os focos de incêndio que existem, é o caboclo, é o índio que toca fogo, é a cultura dele. O tamanho da Amazônia é maior que a Europa toda, não tem como você fiscalizar." 

+++LEIA MAIS: Estreia Boca a Boca, série brasileira da Netflix dirigida por Esmir Filho: "Como ficam as relações físicas em um mundo cercado de telas?"

Segundo o IBGE (Instituto Brasileira de Geografia e Estatística), a parte brasileira da floresta amazônica tem a área de aproximadamente 4,2 milhões de km², enquanto o continente europeu tem cerca de 10,2 milhões de km² — ou seja, mais que o dobro. 

"Podiam começar a reflorestar a Europa para dar exemplo para nós, e não querer reflorestar a Amazônia que já tem floresta aqui", acrescentou.

+++LEIA MAIS: Paul McCartney responde ‘piadinha’ de Ryan Reynolds de modo perfeito

Bolsonaro também acredita que as notícias sobre os incêndios na Amazônia são mentirosas e uma "campanha maldosa contra o Brasil". Por último, ele espera que o Congresso aprove o projeto de lei da regularização fundiária, pois "isso nos ajuda a identificar quem porventura tocou fogo de forma criminosa na sua propriedade. Vai inibir a prática e acabar a pressão internacional, muitas vezes desproporcional e não verdadeira contra o Brasil."

 

 


+++ FREJAT: O DESAFIO É FAZER AS PESSOAS SABEREM QUE O DISCO EXISTE