Bolsonaro diz que divulgação de vídeo de Moro na íntegra ‘seria constrangimento’

A decisão do ministro do STF sobre a divulgação do conteúdo deve ser anunciada ainda nesta sexta-feira, 22

Redação Publicado em 22/05/2020, às 07h57

None
Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Bilo / Estadão Conteúdo / Agência Estado / AP Images)

Jair Bolsonaro disse que a divulgação do vídeo completo da reunião ministerial do dia 22 de abril “seria constrangimento”. O Presidente da República usou as redes sociais nesta quinta-feira, 21, para fazer a declaração, segundo a agência de notícia Reuters. 

De acordo com o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, Bolsonaro afirmou que a troca do comando da Polícia Federal era necessária para não afetar os interesses pessoais dele. Moro avisou que iria deixar o cargo caso a troca fosse realizada e, de fato, foi exonerado no dia 24 de abril. 

+++ LEIA MAIS: Live de Alanis Morissette é tomada por protestos brasileiros: ‘Fora Bolsonaro’

Com a divulgação do vídeo, o ex-ministro consegue provar a acusação contra o presidente, o qual negou qualquer conduta imparcial. Segundo Bolsonaro, a reunião contou com críticas à órgãos nacionais e abordou assuntos de política internacional e segurança nacional, por isso, não deveria ser divulgada na íntegra. Além disso, ele admitiu o uso de palavrões durante a reunião, outro detalhe repercutido pela mídia. 

“Tudo que eu falei pode ser divulgado, exceto duas pequenas passagens, de 15 segundos cada uma, que a gente fala de política internacional e uma coisa, no meu entender, de segurança nacional e, obviamente, o que os ministros falaram, como não tem nada a ver com o inquérito, que não tornasse público, porque é um constrangimento... ficamos na informalidade, você brinca um com o outro, sai um palavrão... não é o caso de tornar público isso”, disse o presidente nas redes sociais.

+++ LEIA MAIS: Bolsonaro repete Trump em dia com mais de 1 mil mortes por Covid-19: ‘Direita toma cloroquina, esquerda toma tubaína’

Bolsonaro também afirmou que cumprirá as decisões do ministro do STF - Supremo Tribunal Federal - Celso de Mello, o qual deve anunciar ainda nesta sexta-feira, 22, se haverá divulgação ou não do conteúdo do vídeo. Contudo, o presidente se mostrou confiante ao negar novamente as acusações de Moro

“Vão perder amanhã, estou adiantando a decisão do ministro Celso de Mello. Não tem nada, nenhum indício, de que porventura eu interferi na Polícia Federal naquelas duas horas de fita. Mas eu só peço, não divulguem a fita toda."


+++ VITOR KLEY | A TAL CANÇÃO PRA LUA | SESSION ROLLING STONE