Bolsonaro nega gabinete paralelo, mas questiona: ‘E se fosse? Qual o problema?’

Em entrevista, o presidente também chamou de “negacionista” quem é contra liberação da máscara para quem já se vacinou

Redação Publicado em 16/06/2021, às 10h52

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Jair Bolsonaro (sem partido) negou a existência de um gabinete paralelo que decidia ações a serem tomadas contra a pandemia de Covid-19. Em entrevista na terça, 15, o presidente também afirmou que, caso existisse, não seria um problema.

Conforme noticiado pela Folha de S. Paulo, diversas evidências levantadas pela CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid apontam para a existência desse gabinete. Por isso, o foco dos depoimentos  da comissão tem sido os integrantes do grupo de assessoramento do presidente, que defendem uso remédios sem eficácia para tratamento da Covid-19.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro volta a atacar vacina Coronavac: ‘Não tem comprovação científica’

Uma das reuniões de Bolsonaro com especialistas da saúde foi transmitida ao vivo pelas redes sociais - no encontro, inclusive, o presidente recebeu a sugestão da criação de um “gabinete das sombras” para responder à pandemia. Em entrevista à RIC TV, o chefe de Estado criticou a CPI da Covid por analisar a reunião:

"Foi feita uma live e ficou na minha página. Daí a CPI pega isso, diz ser um gabinete paralelo. E se fosse? Qual o problema? Eu tenho que ouvir pessoas para tomar providências. Não posso tomar providências sem ouvir pessoas", disse.

+++LEIA MAIS: Governo Bolsonaro ignorou oferta de 60 milhões de vacinas, diz diretor do Butantan

Bolsonaro continuou: "E era uma coisa inédita, ninguém sabia no mundo todo. E nós sempre defendemos o tratamento precoce após ouvir muitos profissionais de saúde como esses, que eram os Médicos Pela Vida."

Além de criticar a CPI, Bolsonaro disse acreditar que mais de 60% da população brasileira estará vacinada até setembro de 2021. De janeiro a junho, contudo, apenas 15% dos brasileiros foram imunizados, segundo a Folha

+++LEIA MAIS: Para 58% dos brasileiros, Bolsonaro não tem capacidade de liderar o país

O presidente também insistiu para que vacinados, ou pessoas previamente infectadas pela Covid-19, não sejam obrigados a usar máscaras: "Então, olha só, a pessoa que tomou vacina, se alguém quer que ela não seja dispensada do uso de máscara, essa pessoa não acredita na vacina. É uma pessoa, aí sim, negacionista."


+++ URIAS | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL