Bolsonaro reclama de investigações sobre governo na pandemia: 'Completamente direcionada contra mim'

No domingo, 11, o senador Jorge Kajuru divulgou a gravação de um telefonema no qual Jair Bolsonaro pressiona por mudanças na investigação

Redação Publicado em 12/04/2021, às 14h40

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Há alguns dias, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a atuação do governo na pandemia de Covid-19. Contudo, em telefonema com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), Bolsonaro pediu a ampliação da apuração para governadores e prefeitos.

Segundo o Valor Econômico, no domingo, 11 de abril, Kajuru divulgou áudios do telefonema com Jair Bolsonaro no qual o presidente pede a ampliação das investigações: “O que tem que fazer para ser uma CPI que realmente seja útil para o Brasil? Mudar a amplitude dela. Bota governadores e prefeitos.”

+++LEIA MAIS: Com 10% da população imunizada, Bolsonaro promete acelerar vacinação no país

No telefonema, Bolsonaro explica que a ampliação evitaria um “relatório sacana” contra o Palácio do Planalto, pois, atualmente, a investigação estaria “completamente direcionada contra” ele. "Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai vir só para cima de mim," diz o presidente na gravação.

Bolsonaro argumenta: “Se não mudar a amplitude, a CPI vai simplesmente ouvir o Pazuello [ex-ministro da Saúde], ouvir gente nossa, para fazer um relatório sacana. Tem que fazer do limão uma limonada. Por enquanto, é um limão que tá aí. Dá para ser uma limonada.”

+++LEIA MAIS: Após recorde de mortes por Covid-19, Bolsonaro anuncia: ‘Não vai ter lockdown nacional’

O senador Jorge Kajuru concorda com o presidente no telefonema, e diz estar interessado em uma investigação que contemple governadores e prefeitos. Além disso, durante a conversa, Bolsonaro defende que o Senado analise os pedidos de impeachment contra ministros do STF. 

De acordo com a Folha de São Paulo, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) protocolou no sábado, 10 de abril, um pedido de aditamento da CPI da Covid. O objetivo é ampliar a investigação para incluir agentes políticos e administrativos de estados e municípios na gestão de recursos federais.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro menospreza recorde de óbitos por Covid-19: 'Em todo local está morrendo gente'

Rodrigo Maia (DEM-RJ), ex-presidente da Câmara dos Deputados, usou as redes sociais para falar sobre a gravidade do telefonema entre Bolsonaro e Kajuru: "A conversa entre um senador e o Presidente da República articulando contra uma CPI e um ministro do STF é um fato gravíssimo". Ainda de acordo com o deputado federal, a "própria CPI poderá investigar o possível crime do presidente da República."

Segundo o UOL, outros políticos demonstraram preocupação com o telefonema, como o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), que publicou nas redes sociais: "Conversa entre Bolsonaro e Kajuru é a prova de mais um crime de responsabilidade do presidente, que tenta intervir no Legislativo e intimidar o STF. O objeto da CPI da Covid não pode ser modificado. Bolsonaro está morrendo de medo e tenta sabotar as investigações."

+++LEIA MAIS: Ministro da Saúde é recebido aos gritos na USP: ‘Bolsonaro genocida, mais vacina e menos cloroquina’

Nesta segunda, 12, Bolsonaro reclamou do áudio divulgado pelo senador. Segundo o presidente (via Valor Econômico), o telefonema só poderia ser gravado com autorização: "Fui gravado em uma conversa telefônica. A que ponto chegamos no Brasil? Gravado! Não é vazar. É te gravar. A gravação é só com autorização judicial. Agora, gravar o presidente e divulgar... E outra, só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte, tá?".


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL