Bolsonaro sobre vandalismo em manifestação: ‘Esse tipo de gente quer voltar ao poder’

Em publicação nas redes sociais, Jair Bolsonaro comentou sobre atos de vandalismo em manifestação contra o governo federal realizada em São Paulo

Redação Publicado em 05/07/2021, às 09h37

None
Jair Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete / Getty Images)

Em diversas cidades do Brasil, ocorreram manifestações contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) no sábado, 3 de julho. Os protestos em São Paulo, contudo, terminaram em atos de vandalismo - e o presidente criticou as ações em publicação nas redes sociais.

Segundo o Correio Braziliense,Bolsonaro publicou imagens dos atos de vandalismo e escreveu: “Nenhum genocídio será apontado. Nenhuma escalada autoritária ou "ato antidemocrático" será citado. Nenhuma ameaça à democracia será alertada. Nenhuma busca e apreensão será feita. Nenhum sigilo será quebrado. Lembrem-se: nunca foi por saúde ou democracia, sempre foi pelo poder!”

+++LEIA MAIS: Bolsonaro ironiza denúncia de propina de ex-diretor da Saúde: ‘Pouca coisa, 400 milhões de doses’

Bolsonaro também usou as redes sociais no domingo, 4 de julho, para voltar a falar sobre atos de vandalismo. O presidente publicou um vídeo no qual um policial militar é atingido na cabeça por uma pedra, lançada por um manifestante.

O presidente comentou sobre a filmagem e comparou o Partido dos Trabalhadores (PT) ao vandalismo. Em referência ao partido, Bolsonaro disse que "esse tipo de gente" gostaria de “voltar ao poder” sem o voto impresso auditável, o que o chefe do Executivo considera “fraude”.

+++LEIA MAIS: Responsabilização de Bolsonaro está mais próxima, aponta CPI da Covid

“Aos 36 segundos um policial militar é atingido quase mortalmente por uma pedra. Esse tipo de gente quer voltar ao Poder por um sistema eleitoral não auditável, ou seja, na fraude. Para a grande mídia, tudo normal,” escreveu nas redes sociais. 

Manifestações contra o governo Bolsonaro

A manifestação contra Jair Bolsonaro foi a terceira em menos de dois meses. Além de São Paulo, diversas cidades do país organizaram atos que pedem o impeachment do presidente da República. 

+++LEIA MAIS: Bolsonaro volta a falar em 'fraude' no sistema eleitoral brasileiro

Em entrevista ao O Globo, organizadores dos atos explicaram que atos de vandalismo ocorreram em grupos isolados que não representam o todo: "A organização da manifestação prevê que ela ocorra de maneira pacífica. Até porque o nosso objetivo é que todo mundo que queira se somar a manifestação se sinta seguro. Somos contrários (a esse tipo de ações) nas manifestações," explicou Josué Rocha, integrante da Frente Povo Sem Medo. 


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL