Pulse

Bowie sofre alucinações no sombrio vídeo de "Lazarus"; assista

O personagem "é um tipo de introvertido, um cego atormentado", explica o diretor

Redação Publicado em 07/01/2016, às 11h30 - Atualizado em 11/01/2016, às 11h51

Bowie em cena de "Lazarus", dirigido por Johan Renck
Reprodução

A parceria de David Bowie com o diretor sueco Johan Renck continua rendendo frutos perturbadores. Depois da versão excêntrica do espaço retratada em "Blackstar", foi lançado nesta quinta, 7, o clipe de “Lazarus”, que resgata o interesse de Bowie em criar personas. Vale lembrar que nesta sexta, 8, ele completa 69 anos e sai oficialmente o disco Blackstar.

"Blackstar" está entre os álbuns mais aguardados de 2016; veja a lista

Batizado pela dupla de Button Eyes (olhos de botão), o personagem central sai do armário para um quarto sombrio. Diretor convidado em séries como Breaking Bad e The Walking Dead, Renck contou em entrevista ao site Noisey, que “ele é um tipo de introvertido, um cego atormentado”. Ele ainda explicou que Bowie enviou desenhos para inspirá-lo. “Me disse: quero apenas uma máscara com olhos de botão.”

Ouça dez raridades de David Bowie escolhidas por leitores da Rolling Stone EUA

“Lazarus” também é o nome do musical de Bowie, protagonizado pelo ator e cantor Michael C. Hall e escrito pelo músico e dramaturgo irlandês Enda Walsh. Em cartaz em Nova York, trata-se de uma sequência do longa The Man Who Fell to Earth (1976) e conta a história surreal de um milionário alcoólatra, Thomas Newton. Em uma das cenas, após beber gim compulsivamente no seu apartamento decadente, ele está tão fora de si que começa a ter alucinações.

Renck diz aos fãs que é desnecessário qualquer esforço de interpretação, uma vez que o vídeo é resultado de conversas pessoais entre ele e Bowie. "David é um leitor voraz e realmente brilhante. A profundidade das referências é um abismo. Ele sabe tudo, já viu de tudo. E depois de fazer tudo que ele tem feito por tanto tempo, ainda é grandiosamente curioso e criativo. Diz apenas: 'vamos explorar, vamos tentar algumas coisas e ver o que acontece'."