Brasil ganha prêmio gay em Berlim

Tá, de Felipe Sholl, recebeu o prêmio Teddy de melhor curta-metragem

Da redação Publicado em 15/02/2008, às 12h08 - Atualizado às 12h32

Cena do curta Tá, estréia de Felipe Sholl na direção
Reprodução

O curta-metragem , do diretor estreante Felipe Sholl, recebeu um dos prêmios Teddy, concedido pelo Festival de Berlim às melhores produções com temática gay.

O filme mostra dois garotos explorando sua sexualidade em um banheiro público. Tá tem cinco minutos de duração e foi rodado na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A produção islandesa The Amazing Truth About Queen Raquela, de Olaf de Fleur Johannesson, foi exibida na mostra Panorama e recebeu o Teddy de melhor longa-metragem. O filme conta a história de uma transexual filipina que sonha em namorar um homem ocidental.

Na categoria documentário, foi escolhida a obra alemã Football Under Cover, de David Assmann e Ayat Najafi, sobre uma partida de futebol entre duas equipes femininas, uma alemã e outra iraniana.

O prêmio do júri foi dado a Be Like Others, que fala sobre o processo de mudança de sexo no Irã. O longa é uma co-produção entre o país, Canadá e EUA.