Brian May admite tristeza por Freddie Mercury não estar vivo no redescobrimento do Queen

O músico também revelou que frequentemente imagina como o vocalista reagiria a nova fase da banda

Redação Publicado em 22/01/2020, às 11h03

None
Brian May (Foto: Chris Pizzello / AP)

Brian May gostaria que Freddie Mercury pudesse aproveitar novamente a fama mundial do Queen após o sucesso de bilheteria e crítica da cinebiografia da banda, Bohemian Rhapsody

Durante os shows da The Rhapsody Tour na Ásia, o guitarrista contou ao jornal japonês Asahi Shimbun que frequentemente sente a presença do amigo e imagina como ele reagiria a esta nova fase da banda. 

"Sim, é algo que nós sentimos. Certamente Roger [Taylor] e eu sentimos, sim [a presença dele]", disse o músico. 

+++ LEIA MAIS:  Brian May admite tristeza por Freddie Mercury não estar vivo no redescobrimento do Queen 

Ele completou: "Às vezes, quando as pessoas fazem uma pergunta, nós temos um sentimento que nós saberíamos o que Freddie diria [...] Não é porque ele era previsível, mas nós meio que conhecemos a imprevisibilidade dele".

O músico ainda confessou ficar triste ao pensar que Mercury não está vivo para aproveitar o redescobrimento do Queen pela nova geração.

"E é maravilhoso como as pessoas estão descobrindo [o Queen] com ainda mais detalhes, agora, do que no passado [...] Existem momentos nos quais eu me sinto triste, com certeza, porque ele não está aqui para aproveitar isso", disse o guitarrista.

+++ LEIA MAIS: Brian May revela que depressão o “engoliu” durante o Natal: "Tem alguma coisa sobre esse período do ano que me paralisa"

Contudo, May afirmou que está contente com a trajetória do Queen nos últimos tempos e que tem uma sensação boa em relação a Mercury

"Mas, sobretudo, eu me sinto uma grande alegria por nós termos essa experiência e esse espectro da música do Queen que ainda podemos explorar, comunicar e compartilhar com a nova audiência. Então é um sentimento bom que eu tenho sobre Freddie".

Assista à entrevista de Brian May


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 1), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL