Pulse

Brian May fala sobre 40º aniversário de “Bohemian Rhapsody”: “É uma canção esquisita”

Guitarrista conta que o riff de guitarra na segunda parte da faixa foi criação de Freddie Mercury

Redação Publicado em 29/10/2015, às 16h23 - Atualizado às 16h43

Brian May

Ver Galeria
(3 imagens)

Um dos maiores hits do Queen, “Bohemian Rhapsody”, completa 40 anos de lançamento no próximo sábado, 31. Em nova entrevista, o guitarrista da banda britânica, Brian May, falou sobre a canção à BBC News. “Percebemos que era algo maravilhoso e deveríamos nos doar de coração e alma àquilo”, disse ele.

Com show do Queen, lembre como foi o primeiro dia de Rock in Rio 2015.

Lançada como parte do álbum A Night at the Opera, em 1975, “Bohemian Rhapsody” foi direto para o topo das paradas britânicas. Sobre a criação da faixa, o guitarrista conta que o riff de guitarra que introduz a segunda parte da música não foi feito por ele, mas sim pelo vocalista Freddie Mercury.

“Aquele riff pesado era uma grande oportunidade de nos colocarmos como uma banda de rock”, disse ele. “Mas aquele riff pesado, grandioso, veio de Freddie, não de mim. Aquilo foi algo que ele tocou com a mão esquerda em oitavas no piano. Então peguei aquilo como guia – e isso é muito difícil de fazer, porque Freddie tocava piano excecionalmente, ainda que ele não achasse isso.”

Rock in Rio 2015: Queen voltou ao festival 30 anos depois, com Adam Lambert.

“Acho que Freddie adorava o fato de que havia muitas interpretações para a letra”, acrescentou May, falando da poesia de “Bohemian Rhapsody”. “É uma canção esquisita. Não acho que seja passível de análise. E com isso não estou tentando ser evasivo. Só acho que é por isso que amamos músicas – elas podem fazer algo conosco que algo escrito não pode.”

May ainda admite que não gosta de falar sobre o hit do Queen, e assume que continua ouvindo a música no carro, mesmo 40 anos depois. “Não para reclamar que as pessoas queiram falar sobre isso tantos anos depois”, comentou. “Eu continuo gostando de ouvi-la. Se tocar no rádio, eu aumento o volume e ouço. Mas sem air guitar. Sou muito velho para isso.”