Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Brigas no Queen começaram quando Roger Taylor se trancou em um armário para fazer ‘birra’

O baterista queria lançar uma canção própria como lado B de "Bohemian Rhapsody" - e, Brian May, uma dele

Redação Publicado em 25/03/2020, às 16h04

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Queen (Foto: Press Association via AP Images)
Queen (Foto: Press Association via AP Images)

Queen queria muito ter “Bohemian Rhapsody”, composição de Freddie Mercury, como single de A Night at the Opera(1975). Tiveram algumas dificuldades pelo tamanho da música (mais de cinco minutos), mas o maior problema foi escolher o Lado B do disco: gerou até briga entre Roger Taylor e Brian May (consequentemente, todo o resto da banda).

Depois de muita insistência, Queen conseguiu “Bohemian Rhapsody” como single. Seria lançado no Lado A de um LP de 7”, azul; o Labo B receberia "The Prophet's Song", composição de Brian May. Taylor detestou a decisão.

+++ LEIA MAIS: Freddie Mercury quebrou todo o camarim do Queen no Rock in Rio porque o chamaram de 'bicha'

Fazia algum tempo que o baterista queria uma composição própria como single. No caso, “I’m In Love With My Car,” música escrita e cantada por Taylor. Implorou para Mercury colocá-la com “Bohemian Rhapsody”. Não adiantou. 

Tomou, então, uma decisão um tanto infantil: trancou-se em um armário (não era nem um guarda-roupas, mas um desses de louça) e se recusou a sair até os colegas do Queen prometerem que “I’m In Love With My Car” seria o Lado B do single “Bohemian Rhapsody.”

+++ LEIA MAIS: Os 10 discos de vinil mais caros da história: White Album dos Beatles, God Save The Queen dos Sex Pistols [LISTA]

O maior problema veio dos atritos posteriores. O LP rendeu uma quantidade absurda de royalties para Freddie Mercury (por ser autor de “Bohemian Rhapsody”) e Roger Taylor (por ter o Lado B do single - ambas vendiam juntas). Brian May ficou bravo, pois era para uma composição dele estar ali. John Deacon também achava injusto.

Desagrado e tensão foram acumulando e não dissiparam tão cedo. Brian May, uma vez, comparou o Queen a “quatro pintores, cada um tem um pincel, mas só existe uma tela.” Em 1977, a banda brigava durante os shows. Um contrato com a gravadora os obrigava a ficar juntos, apesar da vontade de tocarem músicas diferentes.

+++ LEIA MAIS: Os 18 clipes mais icônicos da história da música: de Queen a Miley Cyrus [LISTA]

Demorou alguns anos para Queen voltar aos trilhos. A mudança começou, realmente, em Hot Space (1982), e completou-se no harmonioso The Works (1984) - o disco que apresentou "I Want to Break Free"e "Radio Ga Ga" ao mundo.

+++ CORONAVÍRUS: DEVEMOS REALMENTE CANCELAR SHOWS E EVENTOS?

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!