Brinquedos Lego vão virar filme

Warner Brothers produzirá misto de animação e ação real baseado nas pecinhas

Da redação Publicado em 12/08/2009, às 12h04

Os brinquedos Lego servirão de base para produção parte animação, parte ação real. De acordo com o site da Variety, partiu da Warner Brothers a decisão de levar à Hollywood a linha de pecinhas globalmente famosa.

A ideia não é exatamente nova: por anos, estúdios vêm tentando convencer a empresa dinamarquesa que, nos anos 40, lançou os primeiros modelos do brinquedo. A companhia, tomada como superprotetora em relação à marca, não cedia aos apelos. Há, no máximo, animações liberadas direto em DVD, além de excentricidades como um curta animado feito em cima de Monty Python - Em Busca do Cálice Sagrado, há oito anos. O site da empresa também abriga algumas animações.

A guarda baixou com a proposta dos irmãos Dan e Kevin Hageman (responsáveis pelo roteiro) e do produtor executivo Dan Lin (que trabalhou na nova versão de Sherlock Holmes). Segundo Lin, os dinamarqueses gostaram sobretudo "do fator criativo" e da "imaginação sem limites" do projeto.

Há, ainda, um "leva-e-traz" implícito na parceria: nos últimos anos, a Warner cedeu à empresa os direitos para transformar em pecinhas personagens de séries multimilionárias como Batman, Harry Potter e Speed Racer. Por meio da TT Games, produtora britânica de games adquirida pela Warner em 2007, foram lançados jogos como Lego Star Wars, Lego Batman e Lego Indiana Jones. O próximo título da fornada é Lego Rock Band, previsto para sair até o final do ano.

A produção chega numa temporada propícia a filmes baseados em brinquedos, vide as bilheterias generosas de G. I. Joe - A Origem da Cobra e da franquia Transformers.

Os irmãos Hageman escreveram, recentemente, Hotel Transylvania, produção da Sony Pictures Animation que deve ser lançada em 2011. Para a Warner Bros., a dupla adaptou o livro The Lies of Locke Lamora, de Scott Lynch. Os irmãos foram recebidos em Hollywood em 2003, quando Steven Spielberg os contratou para escrever Charlie Dills, ideia original do diretor que ainda não foi tocada adiante.