Bryan Adams é criticado por soltar fake news sobre coronavírus: ‘Comentários muito, muito, muito racistas’

O músico canadense disse que "só queria fazer um discurso inflamado sobre a horrível crueldade animal" - mas acabou sendo ofensivo

Redação Publicado em 13/05/2020, às 10h54

None
Bryan Adams (Foto: AP Images)

Na última terça, 12, Bryan Adams se desculpou por disseminar fake news sobre o coronavírus no Instagram, culpando “o ato de comer morcegos, a venda de animais em mercados molhados e bastardos gananciosos” pela pandemia que estamos vivendo em decorrência do coronavírus. A notícia foi dada pela Agência Reuters.

+++ LEIA MAIS: O impacto do coronavírus no mercado mundial da música eletrônica

Amy Go, presidente do Conselho Nacional Sino-Canadense para Justiça Social, disse à rede Canadian Broadcasting que os comentários do músico eram “apenas muito, muito, muito, muito racistas.”

Depois que o comentário foi amplamente criticado, Adams, que é vegano, revelou que, na verdade, “queria apenas fazer um discurso inflamado sobre a horrível crueldade animal nestes mercados molhados, que podem ser a possível fonte do vírus.”

+++ LEIA MAIS: Elon Musk reabre fábrica da Tesla e quebra regras de combate ao coronavírus

Segundo a Reuters, muitos pesquisadores acreditam que o COVID-19 tenha se originado em algum mercado de Wuhan, na China. A Organização Mundial da Saúde (OMS) defende que o vírus “provavelmente” se originou de um morcego.

 


+++ O TERNO | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL