"Tem muita coisa, é só uma questão de todos nós nos organizarmos", diz guitarrista do Gun N' Roses sobre novo disco

Bumblefoot conta que a banda espera trabalhar em novas músicas após terminar agenda de shows, em junho

Steve Baltin Publicado em 08/05/2013, às 16h20 - Atualizado às 18h45

Abnormal é o primeiro álbum solo de Bumblefoot como guitarrista do Guns N' Roses
Reprodução/Site oficial

O Guns N' Roses tem algumas poucas datas agendadas: a banda será headliner no Rocklahoma, durante o fim de semana do feriado de Memorial Day, nos Estados Unidos, e ainda se apresentará no Governors Ball Fest em Nova York, no dia 8 de junho. Se depender do guitarrista Ron "Bumblefoot" Thal, essas serão as últimas performances que eles farão por enquanto para que o grupo possa trabalhar em canções inéditas.

"Tem muita coisa, é só uma questão de todos nós nos organizarmos. Ainda estamos fazendo shows e acho que assim que a gente limpar a agenda e focar mais nas músicas novas, vai rolar", ele disse à Rolling Stone EUA durante o evento beneficente Race to Erase MS, em Los Angeles, no último fim de semana. "Temos algumas coisas guardadas, apenas esperando pelo momento exato para que a gente se organize e transforme aquilo em algo novo. Esperamos conseguir produzir mais música – é para isso que estamos nessa."

Para Bumblefoot, por mais bem-sucedida que a banda possa ser na estrada a essa altura, ela precisa voltar ao estúdio e fazer o sucessor de Chinese Democracy (2008). "É o que os fãs querem também. Eles querem música nova e nós podemos fazer isso. Não paramos com isso, não estou pronto para ter parado com isso”, ele disse. “Precisamos continuar compondo música. Temos uma ótima banda e que está pronta para fazer isso e sabe fazer isso bem.”

Apesar de muita gente usar o tempo na estrada para compor, Bumblefoot nunca dominou essa habilidade. “Eu tentei em todas as turnês, não sei nem por quantos anos, mas não consigo. Preciso chegar em casa, relaxar, recarregar as baterias e é aí que tudo começa a acontecer”, contou.

"O que eu comecei a fazer em 2011 para a minha própria música é compor uma faixa por mês. Fiz isso durante todo o ano de 2011. E foi uma ótima maneira de manter um ritmo constante em vez de esperar chegar um momento de explosão, aí apagar essa chama e cair na estrada, para depois tentar fazer isso de novo.”

"Eu adoraria fazer isso com o Guns. Mas não acho que dá certo, não acho que seja o que todo mundo quer fazer. Para mim, se pudéssemos lançar uma música toda vez que estamos prestes a cair na estrada, seria ótimo. Acrescentaria relevância a cada parte da turnê ter uma canção nova em todas delas”, comentou.

O músico está otimista de que em algum momento haverá material novo. “Vamos manter os dedos cruzados para que a vida não atrapalhe e que a gente consiga terminar essa última fornada de shows. Estou ansioso para isso, mas também estou ansioso para que a prioridade maior do nosso tempo no Guns seja fazer coisas novas."