Cameron Crowe faz filme familiar doce em Compramos um Zoólogico

Paulo Terron Publicado em 24/12/2011, às 14h08 - Atualizado às 14h12

Depois de passear por universos musicais variados (em Pearl Jam Twenty, documentário sobre o Pearl Jam, e The Union, sobre a reunião de Elton John e Leon Russell no disco de mesmo nome), Cameron Crowe voltou ao que sabe fazer melhor: histórias familiares agridoces. Em Compramos um Zoológico, Matt Damon é Benjamin Mee, um viúvo que decide se mudar para uma casa no campo com os dois filhos (uma garotinha e um adolescente). A pegadinha é que a propriedade também abriga um zoológico em crise.

No meio da reconstrução do local – liderada pela coordenadora do Rosemor Animal Park, interpretada por Scarlett Johansson –, Crowe orquestra uma delicada reconstrução da família Mee. Se o longa pode parecer doce e esperançoso demais (e é), essa é exatamente a virtude dele. O próprio diretor já defendeu: Compramos é uma experiência para ser vista sem cinismo algum. Ou como, guardadas as proporções, uma comédia feelgood ao estilo de Frank Capra.

Não que o filme tente empurrar sentimentalismo garganta abaixo no espectador. A habilidade de Crowe está exatamente em fazer com que os níveis de açúcar nunca cheguem a um nível em possam matar por intoxicação (algo incomum nessa categoria de filmes para a família).

O longa-metragem também apresenta a primeira parceria entre Cameron Crowe e Jónsi, do islandês Sigur Rós, responsável pela trilha incidental (nos trabalhos anteriores o cineasta trabalhou quase sempre com Nancy Wilson, a ex-esposa dele – e essa separação também pode ser uma pista sobre a temática do filme, baseada em superação de uma perda amorosa).

Trilha sonora - Compramos Um Zoológico