Pulse

Canisso critica o ex-Raimundos Rodolfo por elogiar Bolsonaro

"Vão todos à merda", disse o baixista no Twitter

Redação Publicado em 24/07/2019, às 13h48

None
Raimundos (Foto: Denis Ono/Divulgação)

Canisso, baixista do Raimundos, usou o Twitter para criticar abertamente Rodolfo Abrantes, ex-vocalista da banda de rock. 

A reação veio após o músico tomar conhecimento da participação de Abrantes no programa Abundante Vida, do canal de YouTube da Igreja Abundante Vida London, em que ele aparece elogiando Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, e seu governo. 

Ao tomar conhecimento do trecho, o baixista criticou o seu ex-companheiro de banda, Bolsonaro e o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba. 

"Sabe o que é uma bosta? O vacilão expõe seu ponto de vista conservador e dá munição pra todos péla-sacos que têm inveja e odeiam Raimundos pra atacar a banda... Vão todos à merda de barquinho, e levem o Bozo e o ex-presidente presidiário com vocês...", tuítou. 

+++ LEIA MAIS: Roger Waters lança trailer da turnê em que chamou Bolsonaro de neo-fascista 

Ao expor sua indignação, alguns usuários reagiram aos posts e comentaram que as declarações de Abrantes condizem com a opinião da banda. 

"E o pior é que os integrantes atuais do Raimundos têm praticamente o mesmo raciocínio", disse o usuário. 

"NÃO MESMO. Quer saber minha opinião, me pergunte, não vá tirando conclusões. Abomino tanto o Bozo quanto os fanáticos à esquerda, voto nulo desde que me entendo por gente...MORRAM TODOS", respondeu Canisso. 

+++ LEIA MAIS: Democracia em Vertigem é eleito um dos melhores filmes do ano pelo New York Times 

Além disso, o baixista enfatizou a importância do gênero que toca: "O rock tem a obrigação de questionar, ironizar e perseguir preconceitos e ideias retrógradas, enquanto eu estiver vivo é essa a missão do Raimundos."

No vídeo, intitulado de "A Verdade Sobre o Presidente Bolsonaro", o vocalista afirmou que vê o presidente como um "paizão" e que o Brasil é um "país abençoado". 

Nos últimos meses, Bolsonaro foi criticado por alguns artistas nacionais e internacionais: Tom Morello do Prophets of Rage, por exemplo, chamou-o de “fascista populista”; Douglas Hart, fundador do Jesus and Mary Chain, usou o prefácio da biografia da banda para demonstrar o desagrado (“o novo presidente do seu país é tão idiota que eu espero que a leitura deste livro possa alegrar as pessoas por alguns dias”); e Oliver Sykes, do Bring Me The Horizon, usou o português arranhado de esposa de brasileira para xingá-lo em sua passagem pelo Lollapalooza. 

Veja a entrevista com Rodolfo Abrantes:

+++ SESSION ROLLING STONE: Francisco, El Hombre abre um diálogo sobre depressão com "Parafuso Solto :: Peso Morto"