Cantando em inglês, Black Drawing Chalks representa o rock brasileiro no Lollapalooza

Quarteto goiano empolgou público e levantou chifrinhos metaleiros

Pablo Miyazawa Publicado em 08/04/2012, às 18h25 - Atualizado às 19h03

Black Drawing Chalks no Lollapalooza

Ver Galeria
(4 imagens)

O Black Drawing Chalks representou a movimentada cena do rock goiano no segundo dia de Lollapalooza Brasil, neste domingo, 8.

Com um show de 45 minutos no palco Alternativo, o quarteto surpreendeu desavisados com um repertório pesado e em alto volume, baseado no disco Life is a Big Holiday For Us (2009). "My Favorite Way", eleita pela Rolling Stone Brasil a melhor música de 2009, surgiu na metade da apresentação e levantou centenas de braços e chifrinhos com as mãos (vide foto da galeria), que não desceram até a banda deixar o palco.

Fazendo poses e visivelmente se divertindo, o grupo parecia incrédulo com a boa receptividade da multidão, que dançava e cantava as letras em inglês - não fosse pelas intervenções verbais do vocalista Victor Rocha entre uma faixa e outra, o BDC poderia até passar por mais uma atração estrangeira do Lollapalooza. Os riffs complexos, trabalhados em uníssono por Rocha, o guitarrista Edimar Filho e o baixista Denis de Castro, davam a impressão de complexidade, ao mesmo tempo em que transbordavam de sujeira distorcida (a equalização errática não ajudou muito, tornando o hard rock amigável do quarteto ainda mais cru e agressivo).

"Ouvi dizer que o brasileiro está carente de rock", brincou Rocha. " A gente está aí para ajudar nisso." Com novo disco previsto para este semestre, o Black Drawing Chalks cada vez mais comprova no palco o potencial para arrebatar ainda mais seguidores além das fronteiras de seu estado natal. A estanheza do idioma estrangeiro talvez já não iniba possíveis novos fãs.