Capa de Dark Side of the Moon poderia ter o Surfista Prateado, revela designer

Storm Thorgerson falou à Rolling Stone EUA sobre a criação da capa icônica do Pink Floyd; leia a entrevista na íntegra

Brian Hiatt Publicado em 30/09/2011, às 13h05 - Atualizado às 16h03

Pink Floyd - Dark Side of the Moon
Reprodução

A edição de 13 de outubro da Rolling Stone EUA traz uma matéria de capa sobre o Pink Floyd e o clássico disco Dark Side of the Moon. Abaixo, você confere uma entrevista com o designer gráfico da banda, Storm Thorgerson, que explica como criou a icônica capa do disco.

Em que ponto você foi introduzido ao material de Dark Side? Você ia aos shows onde eles tocaram ou você ouvia algumas das demos?

Ouvi um pedaço no estúdio. Não tenho muito a dizer sobre música. Geralmente eu gosto, daí a absorvo. Não tenho muito a dizer e eles não me deixariam dizer nada, de qualquer forma. Eles dizem: "Pelo amor de Deus, Storm, não prejudique nossa canção. Não assassine nossa música". Então eu nunca digo nada, realmente, sobre a música. Eu apenas deixo fluir. Meu trabalho é reinterpretá-la, na verdade. Então não importa muito o que eu penso, o que importa é o que sai no final. E com Dark Side teve muito a ver com a insanidade das letras e sobre algo que Rick [Wright, tecladista original da banda morto em 2008] me disse: "Poderíamos não ter desta vez uma de suas fotos engraçadinhas, Storm?". E eu disse: "O que você quer dizer? É isso que eu sei fazer. Fotos". Wright disse: "Que tal uma mudança?". Eu disse: "Mas eu não faço desenhos". Então ele me disse: "E por que isso seria um desafio?”

A ideia do prisma, de alguma forma, explica o que você estava captando no disco, diretamente?

Não, tem a ver mais com um show de luzes. Eles não tinham realmente celebrado este lado. Isso era uma coisa, a outra era o triângulo. Eu acho que o triângulo, que é um símbolo de reflexão e ambição, foi muito sobre o assunto nas letras de Roger [Waters, baixista e principal letrista da banda]. Então o triângulo foi muito útil – como nós sabemos, obviamente – no aspecto de ser um ícone para transformá-lo em um prisma – e você sabe, o prisma pertencia ao Floyd.

De acordo com uma lenda, havia uma versão da capa que contava com o Surfista Prateado, o herói da Marvel Comics. É verdade?

Sim, uma versão fotográfica, mas eles recusaram.

O que você quer dizer com “uma versão fotográfica”? Você realmente pintaram alguém de prata e o colocaram em uma prancha de surfe?

Provavelmente. Eu não sei, eu nunca cheguei a fazer, cheguei? Eu fiz um desenho. Infelizmente perdemos os desenhos, não fosse isso eles estariam indo direto para sua caixa de mensagens agora. Nós não conseguimos achá-los.

A Marvel Comics o impediria de fazer isso, de qualquer forma. Certo?

Olha, eu acho que por ser fotográfico, eles não poderiam fazer muita coisa. Quer dizer, pense a respeito: não seria o Surfista Prateado, seria um homem em uma prancha de surfe. Eu estava mais interessado em um onda de camadas, porque achei que seria uma boa representação do Floyd e seus fãs. Eu não acho que poderiam pedir o copyright de uma onda. Ou poderiam?

Bem, não, não uma onda. Mas ele surfava no espaço, de qualquer forma.

Exatamente. Então eu acho que provavelmente teria ido adiante com isso, mas eles não gostaram, de qualquer forma. Então foi jogado fora.