Carlinhos Brown chama atenção para educação ambiental em disco infantil: "Desejo que as canções tragam a nossa responsabilidade com a Terra" [ENTREVISTA]

Artista lança segundo álbum do projeto Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores, e dessa vez, contou com a participação de Milla Franco

Isabela Guiduci Publicado em 02/09/2020, às 07h00

None
Carlinhos Brown (Foto: Magali Morais)

Relembrar a importância da educação ambiental e da necessidade de nos preocuparmos com as florestas e com a Natureza é uma urgência, principalmente para nós, brasileiros. Inclusive, com a notícia da última sexta, 28 de agosto, de que as operações de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia e às queimadas no Pantanal foram suspensas pelo governo, é preciso repensar a nossa responsabilidade para com o meio ambiente. 

+++LEIA MAIS: Lollapalooza 2019: Tribalistas sobrevivem às falhas técnicas com show político, sem pesar demais

[Colocar ALT]
Capa de Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores volume 2. (Foto: Divulgação/Reprodução)

A preocupação ambiental também é tema no universo musical, como no disco Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores - Vol 2, lançado por Carlinhos Brown, no dia 21 de agosto. O artista contou com a parceria da cantora, compositora e arte-educadora Milla Franco. Além dela, outras colaborações estão no álbum em “Quem Disse”, composta com o amigo e companheiro de Tribalistas, Arnaldo Antunes, e “Mãe da Humanidade”, que é uma criação do músico com Mouryfé.

Embora seja um álbum direcionado ao público infantil, as músicas chamam a atenção de todos os ouvintes para a educação ambiental, que precisa ser repassada e reaprendida continuamente. Como comentamos acima, ainda mais na situação em que vivemos atualmente no país - de crise política e de saúde -, o disco reforça a urgência da nossa responsabilidade com a Natureza. 

+++LEIA MAIS: Filho e netos de Gilberto Gil: como Gilsons se tornou acalanto em tempos de crise política e de saúde

"As crianças são nossos espelhos e a potência de sua pureza pode espelhar o melhor de nós. O humano vai se educando com o tempo, com as experiências, com a reunião de saberes que vão se transformando em conhecimentos. As mensagens trazidas por Paxuá e Paramim nos servem a todos, e o desejo é que as canções nos tragam belezas e significados de amor, de comunhão e, principalmente, da nossa responsabilidade com a Terra e com toda Natureza da qual somos parte", explica Carlinhos Brown em entrevista à Rolling Stone Brasil

Ao longo das dez faixas que compõem o segundo volume, o cantor e compositor conta com a ajuda de Milla Franco e dos personagens Paxuá e Paramim para convidar as crianças e ouvintes a refletirem sobre a importância dos rios, mares, florestas, e povos indígenas. 

+++LEIA MAIS: Coala Festival anuncia versão virtual para 2020 com formato inovador; conheça [EXCLUSIVO]

Carlinhos destaca a influência, o valor e a relevância de trazer a música como uma ferramenta para a educação - seja infantil, infanto-juvenil, etc -, e neste caso, para o ensino das responsabilidades com a Natureza e o meio ambiente. Além das mensagens, as melodias brasileiras dialogam com os elementos sonoros de florestas - e o resultado são canções incrivelmente criativas.  

"A música nos ensina a todo instante. Seja no compor, seja nos equilíbrios que buscamos entre os sons e os silêncios das melodias, nas letras ou apenas na alegria que desperta em nós ao escutar. Sabemos que a melhor maneira de aprender alguma coisa é através das emoções. Os especialistas dizem isso, não eu! Eu sinto. Sinto e sigo criando com o desejo maior de ser a educação uma base de tudo que eu faço, sempre - em qualquer trabalho, a qualquer momento. Que a música seja sempre uma mola propulsora para nós nos educarmos e reeducarmos continuamente", afirma Carlinhos.  

O disco nos leva a uma história na qual conhecemos Paxuá e Paramim. Acompanhados deles, e de Carlinhos e de Milla, embarcamos em uma viagem pelas belezas naturais do Brasil - tudo narrado do ponto de vista da importância da educação ambiental e com o convite para direcionarmos nossa atenção para a preservação e cuidado com a Terra.  

[Colocar ALT]
Paxuá e Paramim. (Foto: Reprodução/YouTube)

Paxuá e Paramim são personagens criados pelo músico há seis anos. Eles são indígenas que buscam salvar a natureza e enfatizar o significado indispensável da educação ambiental. 

"Minha criança é um dos meus maiores mestres. Ela brinca hoje e transborda em tudo que faço, porque lá atrás, essa criança trabalhou muito e foi forjada em dificuldades, que fortaleceram o homem construído. Meu trabalho com crianças acontece há mais de 40 anos, e fazer canções e discos para o público infantil é ver um dos meus sonhos realizados", conta o músico.

Ainda, ele acrescenta sobre a importância do tema escolhido para ser repassado ao público infantil através das músicas: "Poder falar da natureza, florestas, flores, chuva, sol, pássaros e rios, é falar com as crianças através das ciências e dos conhecimentos do inconsciente coletivo sobre a importância da educação ambiental - e penso que isso é fundamental."

Carlinhos Brown Kids apresenta Paxuá e Paramim – Vol 1, a primeira parte do projeto, foi lançada no dia 17 de julho e apresenta seis canções do músico que foram compostas para a Série Pertencimento Ambiental, que faz parte do Programa Pertencimento Ambiental da Educação Infantil - uma parceria da Brasil Sustentável Editora, de autoria da educadora Priscila Eduarda Dessimoni Morhy, com o objetivo de lançar conteúdo paradidático para o público infantil. 

Os personagens foram criados pelo cantor para um projeto desenvolvido com a Candyall Entertainment. O projeto é muito didático e, além do conteúdo musical, traz uma websérie, jogos, e quadrinhos - todos repletos de diversas aventuras de Paxuá e Paramim. Você pode acessar ao conteúdo completo aqui

Conheça Paxuá e Paramim:


Processo de criação do disco Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores

O disco foi criado no período de isolamento social para contenção da pandemia de coronavírus - nove das dez músicas foram compostas na quarentena. Em momentos sombrios e complicados como o que estamos vivendo - de crise política e de saúde -, Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores vem como um respiro e esperança de que, além de nós, as nossas crianças possam aprender e entender a responsabilidade delas com a Natureza. 

+++LEIA MAIS: Coronavírus, medo e incerteza: a importância da arte em momentos de caos [ANÁLISE]

"Tenho repetido e refletido dia a dia como a pandemia me trouxe uma possibilidade de mergulhar de outras maneiras em todo trabalho que venho desenvolvendo ao longo da minha vida, da minha trajetória como artista, como músico. Foco, concentração e observação constantes. Atenção e responsabilidade a tudo que faço, que digo, e que absorvo também", afirma Carlinhos Brown.

O músico reforça sobre importância de projetos infantis, principalmente em períodos de crise: "Em meio a tantas dores, tantas perdas e os desafios de toda instabilidade que essa pandemia nos traz, além das mazelas que já enfrentávamos como país, podemos concentrar-nos no que é essencial para criarmos mais e com mais potência. Essa é minha busca. Fazer um musical infantil sem dúvidas é um frescor, porque dar as mãos a essa minha criança e às outras crianças, é o que possibilita fazer a roda seguir girando no mundo."

+++LEIA MAIS: Como o isolamento social afeta a criatividade dos artistas no Brasil?


Carreira de Carlinhos Brown com o público infantil

Carlinhos Brown é um dos principais nomes da música brasileira e está próximo do público infantil desde o início da carreira. Em Candeal - bairro onde o músico nasceu em Salvador -, o cantor é também arte-educador, tem um papel fortíssimo como mobilizador social e ensina crianças na arte da percussão. O surgimento da banda Lactomia, em 1989, formada só de crianças do bairro, por exemplo, se deve à influência dele. 

O cantor e compositor é extremamente envolvido com temas e questões da infância. Brown criou, em Candeal, a Associação Pracatum em 1994 que tem o objetivo de realizar projetos de desenvolvimento social. O espaço conta com cursos gratuitos de música para crianças e jovens.

Em 2001, o talento do músico com o público infantil foi descoberto por Xuxa a partir de uma parceria dos dois para o filme Xuxa e os Duendes(2001). Para a produção, ele gravou a faixa “Duendes” e também fez uma participação especial.

Para o Sítio do Pica Pau Amarelo, obra de autoria de Monteiro Lobato, o cantor contou com a colaboração de Guto Graça Mello para a composição da música “Pererê Peralta (Saci)”, lançada em 2001.

Ainda, em 2012, o músico foi indicado ao Oscar na categoria Melhor Canção Original com a música "Real in Rio", da animação brasileira Rio(2011). Já em 2018, lançou a Série de Pertencimento Ambiental com os personagens Paxuá e Paramim

A carreira com o público infantil é muito promissora - seja como cantor, compositor, agitador cultural, arte-educador, etc. Outro destaque, por exemplo, é a presença dele como técnico no The Voice Kids, transmitido e produzido pela Rede Globo. Nele, o artista já soma cinco temporadas. 

Agora, o músico lançou o disco Paxuá e Paramim em: A Floresta dos Rios Voadores - Vol 2. O álbum já está disponível em todas as plataformas digitais. Conheça:


+++ DESAFIO! FREJAT ESCOLHE OS MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO