Carole Baskin, de Tiger King, critica novo clipe de Cardi B e Megan Thee Stallion

Segundo a conservacionista, o vídeo “exalta pessoas ricas tendo tigres como animais de estimação”

Redação Publicado em 10/08/2020, às 17h57

None
Montagem de clipe "WAP" e Carole Baskin (Foto: Reprodução)

“WAP” é o mais novo sucesso de Cardi B e Megan Thee Stalion, mas nem todos acham isso. Carole Baskin, de Tiger King, acredita que o clipe “glamouriza o abuso de animais”. As informações são da Consequence of Sound.

+++LEIA MAIS: 'Mais uma pancada emocional', diz Joe Exotic sobre Carole Baskin ter ganhado controle do zoológico dele

Em declaração enviada para diversos veículos, a conservacionista criticou o novo clipe, argumentando que “exalta pessoas ricas tendo tigres como animais de estimação”. Segundo Baskin, mostrar os rappers perto dos grandes felinos "faz com que todos os seguidores desses artistas queiram imitar".

Para a conservacionista, comprar o desejo do grande felino inevitavelmente alimentaria o ciclo de abuso de animais praticado nos zoológicos privados do país: “Depois que os tigres estão muito velhos para pessoas como Joe "Exotic", Bhagavan Antle, Marc McCarthy, Mario Tabraue e outros pagarem para sessões de brincadeira, eles se tornam um passivo em vez de um ativo”.

+++LEIA MAIS: Tiger King: como vivem hoje os protagonistas do novo sucesso da Netflix?

Baskin continuou: "Embora eu pense que a maioria é destruída atrás de portões fechados, alguns acabam sendo doados para pessoas que querem ter um tigre para se exibir. Isso nunca dá certo e eles morrem ou acabam jogados em santuários, ou, pior ainda, em criadouros. De qualquer forma, é sempre abusivo para o felino".

Mesmo sendo feito em tela verde, Baskin acredita que a problemática do clipe é ainda maior: “Você tem que posar um gato selvagem na frente de uma tela verde para obter essa imagem e isso não acontece na natureza. Isso não pode acontecer em santuários como o nosso, onde eles têm muito espaço para evitar uma tela verde”.

+++LEIA MAIS: Nicolas Cage é escolhido para ser Joe Exotic em série que adapta o insano documentário Tiger King, da Netflix

“Isso me diz que eles provavelmente lidaram com um dos grandes cafetões de felinos, provavelmente até mesmo um dos mostrados em Tiger King, Murder, Mayhem and Madness, que ganha a vida espancando e chocando gatos famintos para fazê-los ficar na hora frente de uma tela verde em um estúdio. Isso nunca é bom para o felino”, concluiu. 

Assista ao clipe:


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS