Cartola - Música para os Olhos na TV paga

Longa abre hoje a 4ª temporada da versão televisiva do festival de documentários É Tudo Verdade, no Canal Brasil

Da redação Publicado em 02/03/2008, às 14h35

Cartola - Música para os Olhos é primeiro filme da 4ª temporada no É Tudo Verdade na TV
Divulgação

A 4ª temporada do É Tudo Verdade no Canal Brasil estréia neste sábado, 1. O programa é a versão televisiva do festival homônimo, que inicia sua 13ª edição no dia 26 de março, em São Paulo e no Rio de Janeiro, e 7 de abril, em Brasília.

Cartola - Música para os Olhos (2007), de Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, abre hoje o programa. O documentário conta a história de Angenor da Silva, com pinceladas sobre os caminhos tomados pelo gênero musical que o consagrou, o samba.

No sábado seguinte, 8, será exibido Pierre Fatumbi Verger - Mensageiro entre Dois Mundos (1998), de Lula Buarque de Hollanda. O documentário narra, na voz de Gilberto Gil, a trajetória do fotógrafo especialista em cultura afro-brasileira. Nascido na França, mas radicado no Brasil, Verger concedeu sua última entrevista à câmera de Hollanda, um dia antes de sua morte (11 de fevereiro de 1996).

Preto e Branco (2004), estréia do jornalista Carlos Nader na direção, debate a questão da tolerância entre as várias etnias que vivem no país. O filme será exibido no dia 15.

O inglês Nigel Noble responde por Os Carvoeiros (1999), um panorama da realidade dos trabalhadores que lidam com o carvão vegetal nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará. O filme foi escrito e produzido por José Padilha, que recebeu no mês passado o Urso de Ouro pela direção Tropa de Elite.

Moacir - Arte Bruta (2006) fecha a seleção do mês. O diretor Walter Carvalho registra a vida de um pintor autodidata, que sofre de esquizofrenia e mora com os pais em Goiás. Carvalho mostra um pouco do artista que mesmo apresentando muitos problemas de saúde, consegue se expressar por meio da arte.

O É Tudo Verdade é exibido aos sábados, às 21h, com reprise aos domingos, às 16h. A direção e a apresentação do programa ficam por conta do crítico Amir Labaki.