Joan Rivers morreu por falta de oxigênio no cérebro

Apresentadora e comediante morreu no dia 4 de setembro, após complicações um um procedimento cirúrgico

Redação Publicado em 16/10/2014, às 17h10 - Atualizado em 17/10/2014, às 15h50

Joan Rivers
Reprodução/Facebook

Apresentadora e comediante Joan Rivers, que morreu aos 81 anos no dia 4 de setembro, sofreu de falta de oxigênio no cérebro durante um procedimento cirúrgico nas cordas vocais no final de agosto. A causa da morte da apresentadora foi revelada nesta quinta, 16, pelo New York City Medical Examiner.

Doze escândalos do mundo da moda

“O centro de legistas completou sua investigação”, diz o boletim médico divulgado. “A causa da morte da Senhora Rivers foi encefalopatia causada devido a uma parada hipóxica durante uma laringoscopia e endoscopia digestiva feita com alto nível de sedação por meio de propofol para avaliar as alterações de voz e doença de refluxo gastrointestinal. Uma complicação terapêutica causou a morte. A classificação de uma morte como uma complicação terapêutica significa que a morte resultou de uma complicação previsível de tratamento médico.”

De acordo com o tabloide New York Daily News, a cirurgia na garganta chegou a ser interrompida quando um médico chegou à clínica e decidiu fazer uma biópsia em suas cordas vocais. Uma fonte ainda afirmou à publicação que, "Se ela estivesse em um hospital quando isso aconteceu, ela poderia ter saído bem".

O programa comandado pela comediante, Fashion Police, terá continuidade no ano que vem com George Kotsiopoulos, Giuliana Rancic e Kelly Osbourne.