"Cazuza era o cara", diz George Israel

Saxofonista e parceiro nas composições, músico acaba de lançar o disco 13 Parcerias com Cazuza, que conta com a inédita "Você Vai Me Enganar Sempre"

Por Patrícia Colombo Publicado em 07/07/2010, às 18h59

Cazuza e George Israel em 1988

Ver Galeria
(2 imagens)

Em clima de homenagem aos 20 anos da morte de Cazuza, não é de se estranhar ver o nome de George Israel, do Kid Abelha, sendo citado em diversas entrevistas, uma vez que este foi um dos grandes parceiros do cantor. A amizade dos dois teve início em 1981 e durou até a morte do cantor, que completa 20 anos nesta quarta, 7.

George Israel conheceu Cazuza por meio de Roberto Frejat, integrante do Barão Vermelho e amigo em comum, durante uma festa realizada no Rio de Janeiro. Entre 1985 e 1990, a dupla trabalhou em parceria em 17 composições. George Israel comenta que Cazuza era rápido nas palavras, característica que facilitava a elaboração das canções. "O cara tinha muita carta na manga para compor", diz, em entrevista à Rolling Stone Brasil.

Ao falar sobre o amigo, nada de economia nos elogios. "Independente da cena em que ele surgiu, é um dos maiores poetas do Brasil", afirma. "As coisas que ele dizia não eram datadas." A visão de Israel a respeito da personalidade de Cazuza não difere dos demais amigos do cantor: Caju, outro apelido do cantor, ia do festeiro, debochado e divertido ao mais tímido e tranquilo - porém "não menos genial" - dos homens. "Era a soma da poesia, da banda da qual ele fez parte, o Barão Vermelho, e a da personalidade corajosa de ser aberto e dizer tudo", afirma. "Cazuza era o cara mesmo."

Parceria

No último mês de junho, chegou às lojas 13 Parcerias com Cazuza, disco que conta com faixas criadas pela dupla durante os anos 80, resgatadas em um registro com a participação de artistas como Ney Matogrosso, Elza Soares, Marcelo D2 e Sandra de Sá.

Ao entrar em contato com algumas músicas feitas pelos dois (que George Israel não tocava há tempos), o músico viu surgir a vontade de reunir parte delas em um CD - faixas que, como o próprio disse, "estavam espalhadas nos álbuns de Cazuza e de outros artistas". Entre elas, figura "Brasil", que se mantém atual mais de 20 anos depois de seu lançamento. "Foi o maior desafio do disco, porque é uma música com versões já muito marcantes, tanto da Gal Costa quanto dele mesmo", declara Israel sobre a regravação, que contou com participações de Elza Soares e Marcelo D2.

O álbum traz a inédita "Você Vai Me Enganar Sempre", com participação do próprio Cazuza. Composta no ano de 1986, George Israel reencontrou-a em seu acervo musical nos últimos anos. "Não lembrava que tínhamos essa fita já com arranjos e com ele cantando", explicou. "Descobri que era uma fita de quatro canais e a voz dele estava sozinha. Então, pudemos pegá-la e fazer um novo arranjo por cima." Com levada reggae, a música conta com as presenças de Family Man (baixista do Wailers) e Charles Lalibe (baterista do Alpha Blondy).

13 parcerias com Cazuza teve a produção de Israel, junto a Dadi Carvalho. Confira a tracklist:

1 - "Amor, Amor"

2 - "Blues do Ano 2000" (com Frejat, Rafael Frejat, Léo Israel e Fred Israel)

3 - "Brasil" (com Elza Soares e Marcelo D2)

4 - "Burguesia" (com Tico Santa Cruz)

5 - "Completamente Blue"

6 - "De Quem é o Poder"

7 - "Eu Agradeço"

8 - "Inocência do Prazer"

9 - "Mina" (por Paulo Ricardo)

10 - "Nabucodonosor"

11 - "Não Reclamo"

12 - "Solidão Que Nada" (com Sandra de Sá)

13 - "Você Vai Me Enganar Sempre" (com Aston Family Man e Charles Lalibe)

14 - "4 Letras" (com Ney Matogrosso)