Cena de tortura de Cães de Aluguel gerou discussão entre Quentin Tarantino e Harvey Weinstein; entenda

Segundo o diretor, Weinstein estava 'acostumado a ganhar esse tipo de argumento'

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 06/07/2021, às 10h55

None
Cena de Cães de Aluguel (Foto: Reprodução/Dog Eat Dog Productions)

Quentin Tarantino, durante conversa no podcast The Joe Rogan Experience, revelou que cena icônica de tortura em Cães de Aluguel (1992) gerou discussão com Harvey Weinstein, produtor estadunidense condenado por crimes sexuais quem queria remover o momento da trama.

No filme, Mr. Blonde (Michael Madsen) tortura um policial (Kark Baltz) e corta a orelha dele. Segundo Tarantino, a cena sempre fazia alguns expectadores saíres da sala de cinema durante as primeiras exibições do longa.

+++LEIA MAIS: O que não vai faltar no último filme de Quentin Tarantino? Diretor responde

"O raciocínio dele era: 'Olha, Quentin, este é um filme que qualquer pessoa pode assistir. Mas com aquela cena de tortura, você vai alienar as mulheres; não vão querer ver isso. Então você está literalmente colocando seu próprio filme em uma caixinha. Mas sem essa cena, qualquer um pode ir e ver este filme. Todos vão gostar,'" relembrou o cineasta.

"[Ao rejeitar os desejos de Weinstein], foi quando me tornei quem sou, porque Harvey estava acostumado a ganhar esse tipo de argumento," continuou Tarantino. No mesmo podcast, o diretor revelou como adoraria escalar Maya Hawke, filha de Uma Thurman e Ethan Hawke, para um possível terceiro filme de Kill Bill.

+++LEIA MAIS: Quem Quentin Tarantino escalaria para Kill Bill 3?

"Iria revisitar os personagens 20 anos depois e apenas imaginar a Noiva e a filha, BB, tendo 20 anos de paz, e então essa paz é quebrada," comentou. "Agora, as duas estão fugindo e apenas a ideia de poder escalar Uma e Maya para o filme seria empolgante para cara***."


+++ OS 5 DISCOS ESSENCIAIS DE BOB DYLAN | ROLLING STONE BRASIL