A cena mais difícil de Harry Potter precisou de 95 takes para ficar pronta - mas parece magia de verdade

No sétimo filme, Daniel Radcliffe precisa se transformar em cada ator enquanto todos eles "viram" Harry

Redação Publicado em 12/09/2020, às 13h00

None
Harry Potter e as Relíquias da Morte (Foto: Divulgação / Warner)

No último livro de Harry Potter, J.K. Rowling fez um plano mirabolante para tirar Harry Potter da casa dos Dursley em segurança: outras seis pessoas tomariam poção polissuco, se transformariam no menino, e então todos voariam juntos para confundir e frustrar os planos assassinos de Voldemort.

Tudo bem, tudo bom, ótima ideia... Mas passar isso para as telas pode ser um desafio muito maior. A cena foi feita no filme, e foi, de longe, a mais trabalhosa de todas: bateu o recorde de número de takes necessários: 95, ao todo.

+++ LEIA MAIS: Harry Potter: 14 mortes que ainda não superamos nos 21 anos da Batalha de Hogwarts [LISTA]

Em um por trás das câmeras, a equipe e o elenco compartilharam a complexidade da filmagem da cena: “Basicamente, você tinha uma câmera de movimentos controlados, programada pelo computador, então fazia exatamente os mesmos movimentos todas as vezes,” explicou Daniel Radcliffe, ator de Harry Potter.

“Então, filmavamos uma versão comigo fazendo o personagem, e então outra versão como outro personagem. E eram fatores bem específicos, então se você se mexesse um centímetro pra esquerda, virava inútil porque você estaria, tecnicamente, em cima de outra pessoa.”

+++ LEIA MAIS: J.K. Rowling rejeitou ideia de Michael Jackson para um musical de Harry Potter

Além da execução, a cena exigiu uma enorme preparação. David Yates, diretor dos três últimos filmes de Harry Potter, exigiu que Radcliffe estudasse os atores e personagens, e colocasse trejeitos de personalidade deles em cada uma das atuações.

Para facilitar um pouco o trabalho, Yates pedia para que, por exemplo, Emma Watson, intérprete de Hermione Granger, fizesse a cena uma vez. Radcliffe, então, tentava copiá-la, e assim com os outros cinco atores/personagens.

+++LEIA MAIS: 3 coisas em comum entre Voldemort, de Harry Potter, e Sauron, de O Senhor dos Anéis

“Você começa a olhar para as pessoas de uma maneira muito analítica quando está meio que estudando eles,” contou Radcliffe. “ComoRupert [Grint], ele anda com um gingado nos quadris e é um andar bem sexy, sabe, se posso dizer isso.”

Mas só Radcliffe não fez a cena: era necessária a transição. Para isso, gravaram cada ator individualmente. Usaram uma maquiagem especial com captação de raios ultravioleta para conseguirem exatamente as expressões faciais, e quase 30 câmeras, em todos os ângulos, para não perderem nenhum detalhe. E, mesmo com a tecnologia sendo bem nova, a cena ficou perfeita. Assista:


+++ BK' lança novo disco e fala sobre conexão com o movimento Vidas Negras Importam: 'A gente sabia que ia explodir'