Chadwick Boseman 'não queria tratamento especial' devido à doença, diz Spike Lee

O astro de Pantera Negra morreu em agosto de 2020, após 4 anos de uma luta secreta contra o câncer de cólon

Redação Publicado em 13/01/2021, às 20h27

None
Montagem de Chadwick Boseman (Foto: Getty Images/ Frazer Harrison) e Spike Lee (Foto: Tristan Fewings/Getty Images)

Chadwick Boseman morreu em agosto de 2020, após quatro anos de uma luta secreta contra o câncer de cólon. Mesmo nos últimos filmes do astro, a maioria do elenco e produção não sabia da doença do ator - e isso inclui o diretor Spike Lee. As informações são da NME.

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, Spike Lee, diretor de Da 5 Bloods, e George Wolfe, diretor do último filme de Boseman A Voz Suprema do Blues, falaram que não sabiam sobre o diagnóstico de câncer do astro.

+++LEIA MAIS: Viola Davis faz homenagem a Chadwick Boseman: ‘Ele viveu o momento’

Lee disse: “Eu não sabia. Perguntei a George [C. Wolfe], ele não sabia. Perguntei a Ryan Coogler, ele disse que não sabia. Nós não sabíamos. Havia um círculo muito pequeno que sabia que ele não estaria aqui por muito mais tempo, e eu entendo por que ele não queria que as pessoas soubessem”.

O cineasta continuou: “Se eu soubesse, a primeira sequência de batalha em [Destacamento Blood] é de 100 graus e tivemos os tiros em que ele tem que correr 50 metros como Usain Bolt. Quer dizer, ele tem que carregá-lo. Se ele me dissesse isso, automaticamente não iria obrigá-lo, não iria pressioná-lo o máximo que posso. Ele não queria nenhum atalho. Não queria qualquer tratamento especial”.

+++LEIA MAIS: Chadwick Boseman aprendeu a tocar trompete para A Voz Suprema do Blues

A Voz Suprema do Blues foi o último filme de Chadwick Boseman, e o diretor do longa, George Wolfe, também explicou que não tinha ideia da doença do ator: “Não sabia absolutamente nada. Não tinha noção disso. Ele fazia takes e takes de momentos emocionais profundos e crus. Há um momento no filme em que ele arromba a porta e chuta com tanta violência que a porta se estilhaça e temos que descobrir como montá-la. Cada coisa que ele estava fazendo tinha esse nível incrivelmente intenso de comprometimento”.

Wolfe revelou qual momento soube da doença do astro: “Eu descobri quando o mundo descobriu, e foi devastador e chocante, porque eu senti que nada mais estava acontecendo, além de um ator dando cada grama do que ele tinha para fazer o personagem no filme e os momentos chegarem vivo”.

+++ LEIA MAIS: Chadwick Boseman foi 'iluminado por Deus', diz Spike Lee

Os dois diretores também falaram que havia um comportamento protetor de algumas equipes de cabelo e maquiagem de Chadwick Boseman, mas que não era suficiente para levantar suspeitas sobre o estado de saúde do astro. 

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++ TICO SANTA CRUZ | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL