Charles Bradley, aclamado cantor de soul, morre aos 68 anos

Com performances ao vivo intensas, antigo imitador de James Brown se tornou um astro depois morar na rua

Jason Newman Publicado em 23/09/2017, às 17h21 - Atualizado às 17h51

Charles Bradley
Associated Press

Charles Bradley, o aclamado cantor e performer que viu sua carreira ascender depois dos 50 anos, morreu depois de uma longa luta contra o câncer. Ele tinha 68 anos.

“É com o coração pesado que anunciamos a morte de Charles Bradley”, escreveu o representante do artista em um comunicado. “Sempre um lutador, Charles deu tudo que tinha na luta contra o câncer. Ele foi diagnosticado com câncer de estômago em 2016; retornou à estrada em 2017 depois de ter recebido alta, mas recentemente o câncer voltou, se espalhando para o fígado. Obrigado por suas rezas nesse período difícil. Bradley era realmente grato por todo amor que recebia dos fãs e esperamos que a mensagem de amor dele seja lembrada e passada adiante.”

Nos três álbuns que lançou - No Time for Dreaming (2011), Victim of Love (2013) e Changes (2016) -, Bradley misturou baladas de amor doídas e de remorso com canções de celebração e de alegria por ter sobrevivido a uma vida de percalços.

Charles Bradley nasceu em 5 de novembro, em 1948, na Flórida, mas mudou cedo com a mãe para Nova York, para o Brooklyn. Aos 14 anos, Bradley saiu de casa e passou a morar na rua, procurando os metrôs para se proteger do frio. “Eu tinha medo que ela fosse machucar”, ele disse sobre a mãe no documentário Charles Bradley: Soul of America.

O último disco do artista, Changes, ganhou o título por conta da cover da canção do Black Sabbath. Bradley não conhecia os pioneiros do metal, mas se conectou à letra pessoal de Geezer Butler sobre transformações na vida ao ver a saúde da mãe deteriorar. Ela morreu algum tempo depois.

“Amo todos vocês aí que fizeram meus sonhos se tornarem realidade”, Bradley disse no começo deste mês, pouco antes de descobrir a metástase. "Quando eu voltar, voltarei mais forte, com o amor de Deus. Com a graça de Deus, voltarei em breve.”